Rise of The Northstar

Rise of The Northstar

21 Abril
@Lisboa ao vivo

Lisboa

21:00h

António Maurício

PREÇO
22€

Os franceses Rise of The Northstar vão estar de volta à estrada em 2020 para mais uma rota de promoção ao seu mais recente álbum, «The Legacy Of Shi», que inclui uma muito aguardada passagem por Portugal, para uma actuação única, marcada para o dia 21 de Abril, no LAV – Lisboa Ao Vivo. Bebendo inspiração na cultura pop japonesa – dos jogos de vídeo aos personagens de arcade e dos livros manga –, na ascensão do hip-hop e na sua consequente fusão com o rock e o metal, estes jovens músicos parisienses pegaram em todos esses elementos, misturaram-nos num enorme caldeirão e acabaram por criar uma sonoridade nunca antes ouvida. A ousadia valeu-lhes elogios rasgados por parte da imprensa especializada e do público, que os elevou rapidamente ao estatuto de culto entre os apreciadores de música dura que não se verga a rótulos estanques.

O conceito de banda crossover já não é exactamente novo, mas não é todos os dias que nos cruzamos com um grupo de músicos com uma panóplia de influências tão vasta como a dos Rise of The Northstar. Combinando um interesse primordial na cultura japonesa e um pouco de tudo no que a referências musicais diz respeito, do hip-hop ao nu-metal, passando pelo hardcore e pelo thrash, o colectivo liderado pelo vocalista Victor “Vithia” Leroy juntou-se em 2008 e, durante a última década, não mais parou de crescer. Apoiados em dois álbuns amplamente aplaudidos – «Welcame» e «Legacy Of Shi», este último produzido por Joe Duplantier, dos Gojira – e num rigoroso esquema de digressões, que os viu actuarem em alguns dos maiores festivais de Verão, os Rise of The Northstar são hoje um caso sério de popularidade a nível mundial.

A primeira parte do espectáculo é assegurada pelos franceses Novelists FR, quinteto de metalcore/djent com base em Paris, adepto de frequentes mudanças de pele. Combinando os riffs duros do metalcore com elementos de jazz e rock progressivo, os cinco músicos invocam nomes como Periphery e Architects, apresentando uma visão nada conformista do que pode ser a música extrema no séc. XXI. Formado pelo vocalista Matt Gelsomino, pelo baterista Amael Durand, pelo baixista Nicolas Delestrade e pelos guitarristas Florestan Durand e Charly Kelevra, o grupo estreou-se com o álbum «Souvenirs» em 2015, ao que se seguiram «Noir» e «C’Est La Vie», em 2017 e 2020, respectivamente.

Bilhetes em ticketline.sapo.pt.