A ausência de Tool explicada

A ausência de Tool explicada

Timóteo Azevedo

Membros da banda explicaram o imbróglio legal que os tem impedido de lançar um novo disco.

Já lá vão 8 anos desde que os Tool lançaram um álbum. “10000 days”, foi lançado em 2006, e passados 3 mil dias, mais coisa menos coisa, ainda não teve sucessor. E não parece que vá acontecer tão cedo como se pensava.

Já desde o final do ano passado, rumores circulavam que o álbum que os fãs da banda esperavam estava para sair brevemente. Agora, em entrevista à Rolling Stone, a banda deixou claro que as coisas não estão a evoluir nesse sentido. Tudo por causa de complicações legais que começaram em 2007.

Nesse ano, um então amigo de Adam Jones, guitarrista dos Tool, queria ser creditado por artwork que teria alegadamente criado para a banda. Mas, embora começando aí, o problema não foi esse. Acontece que a seguradora que os Tool tinham contratado para os defender no processo, acabaram por processar a banda por “pormenores” relativos ao caso. A banda, por sua vez, contra-processou a empresa contra as alegações, e encontra-se, ainda passados 7 anos, no meio deste imbróglio legal.

“Tudo isto é muito deprimente”, disse Danny Carey, baterista da banda, explicando depois que todo o processo tem sugado as energias e o dinheiro da banda, o que contribui muito para um desgaste criativo e emocional.

No meio disto tudo, a boa notícia para os fãs é que a banda está mesmo a escrever músicas novas, e, segundo as declarações da banda, vai ser material pesado.

“Espero que consigamos ter um álbum sólido no final do ano”, diz Carey, desarmando de seguida, “Mas vamos ver como as coisas correm. Eu pensava o mesmo no ano passado”.