A Caminho do UEFA Euro 2020, Os Hinos dos Torneios

A Caminho do UEFA Euro 2020, Os Hinos dos Torneios

Redacção

Foi no Euro 1992, na Suécia, que o torneio da UEFA passou a ter hinos oficiais. Recordamos todos eles. A maioria não é muito inspirada, mas sempre que ouvimos a melodiazinha do David Guetta, de 2016, lembramo-nos do Éder!

O Campeonato Europeu de Futebol de 2020, comummente referido como UEFA Euro 2020 ou simplesmente Euro 2020, será a 16ª edição do Campeonato Europeu de Futebol, campeonato que tem lugar de quatro em quatro anos, é disputado por selecções europeias e organizado pela União das Associações Europeias de Futebol (UEFA).

Este ano há uma grande novidade. O evento será realizado em doze cidades de diferentes países europeus durante o Verão de 2020, em comemoração dos 60 anos do torneio. O jogo de abertura está marcado para o dia 12 de Junho, no Stadio Olimpico, em Roma, e a grande final terá lugar no dia 12 de Julho no Estádio de Wembley, em Londres.

Nunca é demais lembrar que Selecção Portuguesa de Futebol foi a vencedora da edição anterior, contra todos os prognósticos, o que terá valido um enorme bónus a quem gosta de arriscar em casas como a Betclic Portugal.

As equipas qualificadas, pela ordem em que confirmaram o seu apuramento, são Bélgica, Itália, Rússia, Polónia, Ucrânia, Espanha, Turquia, França, Inglaterra, República Checa, Finlândia, Suécia, Alemanha, Holanda, Croácia, Áustria, Portugal, Suíça, Dinamarca e País de Gales. Portugal, já se sabe, calhou no “Grupo da Morte”, emparelhado com Alemanha e França. Faltando ainda uma equipa que virá daquelas que irão disputar os jogos de Play-Off. O sistema é algo confuso, tendo o formato de um torneio, com as equipas de cada um dos grupos a fazerem dois jogos, de onde sairão os dois primeiros classificados para se defrontarem com os do outro grupo em meias-finais e final. Um terreno fértil para apostas online, eis os jogos:

Caminho A: Islândia – Roménia, Bulgária – Hungria
Caminho B: Bósnia e Herzegovina – Irlanda do Norte, Eslováquia – Rep. da Irlanda
Caminho C: Escócia – Israel, Noruega – Sérvia
Caminho D: Geórgia – Bielorrússia, Macedónia do Norte – Kosovo

Bom, mas o que raio tem o Euro 2020 que ver com uma publicação musical? Os hinos dos torneios. Há os oficiais, encomendados pela organização a algum artista de proa, acabando sempre excessivamente produzidos ou emocionalmente deslocados. Para nem falar nos que cada uma das selecções acaba por eleger para si. Neste particular, a vitória da selecção portuguesa teve como música eleita para exprimir tamanha alegria a melancólica melodia de “Tudo O Que Eu Te Dou”, de Pedro Abrunhosa. Ou seja, festa de arromba, euforia máxima e como cantá-la? Com uma balada daquelas de fazer chorar as pedras da calçada…

A moda, no que respeita aos Europeus, teve início em 1992, na edição realizada na Suécia. Logo com uma escolha completamente “ao lado”, com a canção “More Than A Game”, autoria da dupla sueca Peter Jöback e Lasse Holm e interpretada pelo primeiro e Towe Jaarnek. Enfim, Portugal não se apurou e não teve nada que ver com esta desgraça.

O excesso de drama foi mantido no Euro em Inglaterra, em 1996. Os Simply Red, talvez adivinhando que, como disse Gary Lineker, «o futebol são onze contra onze e no final vence a Alemanha», decidiram criar um hino para todos os ingleses lamentarem a derrota nas meias-finais frente aos germânicos, que acabariam por vencer a República Checa na final. Bem feito para esses checos que despacharam a nossa selecção nos quartos-de-final.

Há também honrosas excepções que são capaz de corporizar a vibrante festa de uma fase final do desporto rei, toda ansiedade, celebração e adrenalina da vitória. E, à imagem de Portugal, em 2000 as coisas animaram com “Campione 2000”. É um eurodance de qualidade manhosa, diga-se, mas ligado com o ritmo e o colorido de um jogo de futebol, a coisa resultava. Além de gamarem o moto ao clássico filme de fantasia “Highlander”: «There can be only one». Por falar em gamanço, na meia-final com a França, após uma prestação épica no torneio, a nossa Geração de Ouro foi “impedida” pelo árbitro, esse malandro do Günter Benkö, de estar na final.

2004 e seria desta! Jogávamos em casa e até tínhamos o hino mais bonitinho desta galeria, “Força”, de Nelly Furtado. Perdemos com a Grécia na abertura? Ok, é para acrescentar carga dramática e, no último jogo do grupo, despachar os espanhóis. Olivença é nossa! O Ricardo a parar os ingleses sem luvas, o golaço do Maniche à Holanda. Estava no papo. Infelizmente, esses safados dos gregos também foram à final…

2008 não conta. Estava tudo feito para os espanhóis. Os organizadores (a Áustria e a Suíça) nem disfarçaram e encomendaram o hino oficial do torneio e Enrique Iglesias. Os nuestros hermanos vingaram-nos, vá lá, vencendo a Alemanha (que nos derrotou nos quartos). O único consolo foi os gregos terem realizado a pior prestação de sempre de uma equipa na história do torneio.

Para não variar, em 2012 perdemos com a Alemanha. Mas a equipa reergueu-se, ganhou à Dinamarca ao cair do pano e despachou um dos seus fregueses habituais, a Holanda. Nos quartos de final, vingamos a derrota de 1996 frente aos checos. Infelizmente, nas meias-finais, no desempate por penáltis, os ferros da baliza não quiserem nada connosco e foram os espanhóis ganhar a final à Itália. A música? ninguém se lembra, era este disparate…

O hino oficial do Euro 2020 ainda não foi anunciado. Nada como relembrar o de 2016. Talvez seja o efeito Éder, mas trata-se da melhor composição de David Guetta, caramba! E à Zara Larsson apetece dizer «ah, fadista»! Não jogámos nadinha, empatámos praticamente tudo o que era jogo, até chegar o minuto 109 (já no prolongamento) em Saint-Denis, no Stade France, contra a equipa anfitriã. Jordão e Chalana vingados naquela bojarda do Éder! Depois da Geração de Ouro ser afastada pelos franceses, foi o Pino de Ouro que os… Bom, usemos o título do hino mais apropriado de sempre, “This One’s For You”.

Querem apostar que trazemos novamente o caneco? Passem na Bet365!