Andrew Watt, O Novo Álbum de Ozzy Está Quase Pronto e Cheio de Estrelas

Andrew Watt, O Novo Álbum de Ozzy Está Quase Pronto e Cheio de Estrelas

Nero

Depois de “Ordinary Man”, Andrew Watt está a produzir um novo álbum de Ozzy Osbourne, o qual garante estar perto da conclusão e contar com mais meia dúzia de convidados de renome, confirmando Robert Trujillo e Taylor Hawkins.

“Ordinary Man”, o 12º registo de estúdio do histórico frontman dos Black Sabbath, estreou no 21 de Fevereiro de 2020, através da Epic Records. Na review da AS lê-se: «O auto-proclamado melhor álbum de Ozzy. “Ordinary Man” é, de facto, um disco moderno e cheio de surpresas. Andrew Watt é o protagonista, tendo surgido à altura da responsabilidade de renovar Ozzy Osbourne». Gravado em Los Angeles, ao lado do produtor Andrew Watt (que também assumiu grossa parte das guitarras), o álbum conta com Chad Smith, baterista dos Red Hot Chili Peppers, e Duff McKagan, baixista dos Guns N’ Roses. Slash surge como convidado, tal como Elton John, Tom Morello e ainda Post Malone.

Andrew Watt confirmou aquilo que Ozzy tinha afirmado em Setembro passado, garantindo que há um sucessor de “Ordinary Man” a ser trabalhado. Aliás, quase pronto. «Estamos a meio. Tem sido complicado, com o COVID e tudo isso, garantir a segurança dele [Ozzy]. Somos testados diariamente antes de começar a trabalhar e sou apenas eu, o meu engenheiro e o Ozzy. por isso está a demorar um pouco mais», conta Watt à Guitar World.

Na opinião do produtor, este ritmo lento está a permitir fazer as coisas de forma mais ponderada, por oposição ao trabalho mais instintivo e passional do álbum anterior. Por isso, diz Watt, «há canções que são enormes viagens de oito ou nove minutos. Estou muito entusiasmado». Se isso significa que vêm aí épicos como “No More Tears”, nós também ficamos entusiasmados, diga-se.

Watt confirmou também que, tal como “Ordinary Man”, o novo álbum irá contar com uma musculada lista de convidados. As bases dos temas foram desenvolvidas com Watt na guitarra e Chad Smith uma vez mais na bateria. No baixo esteve Robert Trujillo que, antes de integrar os Metallica, tocou vários anos com Ozzy.

Watt confirmou apenas mais um dos muitos convidados a que aludiu, o baterista dos Foo Fighters. «O Taylor Hawkins juntou-se-nos e gravou um par de canções, acrescentando um sabor diferente aos temas – de alguma forma remete-nos para a era dos 80s do Ozzy, da melhor forma possível. Acho que é um brinde para qualquer fã de rock poder ouvir metade de um álbum com o Chad Smith na bateria e a outra metade comn o Taylor Hawkins».

Somos obrigados a concordar com Watt.

EGITANA