Apple Music Cria Fundo de 50 Milhões Para Auxiliar Editoras Indie Afectadas Pelo Covid-19

Apple Music Cria Fundo de 50 Milhões Para Auxiliar Editoras Indie Afectadas Pelo Covid-19

Redacção

A Apple Music está a criar um fundo de 50 milhões de dólares para distribuir por editoras e distribuidoras independentes, para garantir a subsistência do sector underground da indústria musical.

É uma notícia extraordinária, avançada pela Music Business Worldwide. A Apple Music está a criar um fundo monetário de 50 milhões de dólares, para distribuir como um avanço a editoras e distribuidoras independentes, garantindo dessa forma que estes pequenos (mas tão importantes) agentes da indústria musical possuam fluxo monetário determinante nesta altura de enormes incertezas globais.

Editoras, grande ou pequenas, em todo o mundo estão a enfrentar vários problemas devido ao Coronavírus. Com o encerramento de lojas, as vendas de discos caíram a pique, para mínimos históricos. Os valores das licenças de música ao vivo ou reprodução em locais públicos, os royalties, no fundo, minguaram imenso devido ao cancelamento massivo de eventos e até pelo abrandamento de produções televisivas e cinematográficas. E as receitas dos royalties que as editoras partilham com os seus artistas devido a concertos nem se fala, com tudo, basicamente cancelado, sabe-se lá por quanto tempo. Por fim, várias editoras estão a adiar o lançamento de álbuns, afinal o mercado está também a sofrer com recessão económica.

Segundo a MBW, a Apple enquanto gigante da indústria, está a preparar-se para manter vivo este sector. A empresa prepara-se para informar editoras e distribuidores independentes ainda hoje (07 de Abril) que aqueles que possuem uma quota mínima de 10 mil dólares nos lucros da Apple Music se podem qualificar para avanços de pagamento de royalties futuros, desse fundo de 50 milhões. Ou seja, as editoras que acumulam cerca de 500 mil streams na plataforma mensalmente estarão mais perto de receber o pagamento.

No entanto, qualquer editora ou distribuidora independente que tenha contrato de distribuição com a Apple Music pode candidatar-se a esse avanço monetário. A iniciativa irá excluir editoras independentes que são distribuídas por major labels. A Apple, aparentemente, irá informar estes agentes independentes qualificáveis que espera que este dinheiro os «ajude a pagar aos artistas e a manter a actividade».

Os mais recentes relatórios apontam que os números de subscrição globais da Apple Music cresceram em Março, mantendo uma tendência mensal de subida, apesar de os serviços de streaming também se terem ressentido com o lockdown dos vários governos internacionais. Por isso, há mais dinheiro a escoar para os donos dos direitos musicais presentes na Apple Music, mesmo com a empresa a avançar com esta colossal soma para ajudar as editoras.

Esta iniciativa tem o total apoio da empresa mãe, a Apple. De resto, Tim Cook, o CEO da gigante da indústria tecnológica já garantira o financiamento para 20 milhões de máscaras de protecção para profissionais de saúde de todo o mundo. A marca estará ainda a produzir e distribuir escudos faciais para pessoal médico a um nível global. Na vanguarda da resposta à pandemia, a Apple irá ainda doar 10 milhões de dólares para o evento angariador de fundos One World: Together at Home.