“Aretha” Deluxe Edition, Revisão de 60 Anos da Carreira de Aretha Franklin

“Aretha” Deluxe Edition, Revisão de 60 Anos da Carreira de Aretha Franklin

Redacção

Nova edição é um dos maiores compêndios da carreira da diva Aretha Franklin. Caixa de 4 CDs dedicada à Rainha da Soul com 81 faixas, incluindo 19 versões alternativas inéditas, demos, raridades e actuações ao vivo.

Dizer que Aretha Franklin foi uma das maiores artistas americanas de todos os tempos é dizer pouco. A sua voz cativou milhões de pessoas em todo o mundo durante uma carreira ímpar de seis décadas que mereceu todos os prémios e homenagens imagináveis. O seu reinado de Rainha da Soul é revisitado em quatro discos de uma Deluxe Edition que é a primeira a cobrir toda a carreira de Aretha Franklin com canções de todas as editoras com as quais ela gravou.

“ARETHA” chega no próximo dia 30 de Julho, em CD e formato digital. Das suas 81 faixas remasterizadas, 19 são inéditas em CD e formato digital, incluindo versões alternativas de grandes clássicos, demos, raridades e atuações ao vivo, como a interpretação fabulosa de “(You Make Me Feel) Like A Natural Woman” no evento The 38th Annual Kennedy Center Honors, em 2015.

Para colocar a vida e a carreira de Aretha Franklin em perspetiva, a coleção inclui notas de Rochelle Riley, autora e diretora de artes e cultura de Câmara Municipal de Detroit, e de David Nathan, fundador da Soulmusic.com e historiador que entrevistou Aretha Franklin mais vezes do que qualquer outro autor. A caixa inclui ainda ilustrações da célebre artista Makeba KEEBS Rainey, que imprime o seu estilo muito próprio a um retrato clássico da Rainha da Soul pelo famoso fotógrafo Neal Preston. A caixa da Rhino será lançada pouco antes da estreia de “Respect”, a muito esperada história da vida de Aretha Franklin com a participação de Jennifer Hudson. As versões em 1 CD e 2 LPs, com as 20 melhores faixas da caixa, estarão disponíveis a partir de 30 de Julho.

A colecção “ARETHA”, organizada essencialmente por ordem cronológica, abre com “Never Grow Old” e “You Grow Closer,” editadas como o seu primeiro single pela J.V.B Records, em 1956. Ela gravou estas canções gospel na Igreja Batista de New Bethel, em Detroit, onde o seu pai, C. L. Franklin, era o pastor de longa data. As 10 canções seguintes cobrem o período entre 1960 e 1966, quando Aretha Franklin foi editada pela Columbia Records. Estas canções incluem o seu primeiro single para a editora (“Today I Sing The Blues”), o seu primeiro single a entrar para o Billboard Hot 100 (“Won’t Be Long”), e os temas do Top 40 de R&B “Runnin’ Out Of Fools”, “One Step Ahead” e “Cry Like A Baby”.

A maior parte de “ARETHA” é dedicada ao período com a Atlantic Records, entre 1967 e 1979, que incluiu cinco álbuns consecutivos #1 na tabela de R&B. As duas primeiras canções inéditas da coleção – “My Kind Of Town (Detroit Is)” e “Try A Little Tenderness” – são demos que ela gravou em casa, em 1966, para dar a Jerry Wexler, executivo e produtor da Atlantic, uma ideia do material possível para o seu primeiro álbum para a editora. Em “My Kind Of Town (Detroit Is)”, Aretha Franklin substitui a letra clássica de “Chicago” da versão de Sinatra por uma alusão à sua cidade natal, Detroit.

A colecção inclui os maiores êxitos de Aretha Franklin, tais como “I Never Loved A Man (The Way I Love You”, “(Sweet Sweet Baby) Since You’ve Been Gone” e provavelmente o maior de todos, “Respect”. Mas em vez de usar as versões habituais de outros êxitos, ARETHA oferece versões alternativas de “Chain Of Fools”, “Rock Steady” e “Spanish Harlem”, gravações ao vivo de “Baby I Love You” e “Don’t Play That Song”, e “Think”, gravada para a banda sonora de The Blues Brothers. A colaboração de Aretha Franklin com o produtor Quincy Jones, no início da década de 70, é revisitada com um trio de gravações inéditas, incluindo “The Boy From Bombay” e uma espantosa versão alternativa de um clássico de Sondheim e Bernstein, “Somewhere”.

“ARETHA” também cobre os melhores trabalhos de Aretha Franklin para a Arista Records, entre 1980 e 2007, tais como os grandes sucessos “Jump To It” e “Freeway Of Love”. Este período assistiu a várias colaborações memoráveis, incluindo “Sisters Are Doin’ It For Themselves” com os Eurythmics, e o Top 1 “I Knew You Were Waiting (For Me)” com George Michael.

Mesmo para os fãs de sempre, “ARETHA” oferece muitas surpresas, por exemplo, numerosas gravações de trabalho e demos inéditas relacionadas com êxitos como “Angel”, “Until You Come Back To Me” e “Brand New Me.” Inclui também a estreia em CD e digital de várias atuações na televisão, incluindo duetos com Tom Jones (“It’s Not Unusual/See Saw”), Smokey Robinson (“Ooo Baby Baby”) e Dionne Warwick (“I Say A Little Prayer”). Finalmente, “ARETHA” inclui raridades como a sua versão de “Someday We’ll All Be Free” de Donny Hathaway, gravada para a banda sonora de Malcom X, e a sua fabulosa interpretação ao vivo de “Nessun Dorma”.

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.
EGITANA