SBSR’19: Dino D’Santiago promete concerto exclusivo e Luís Montez revela concertos imperdíveis

SBSR’19: Dino D’Santiago promete concerto exclusivo e Luís Montez revela concertos imperdíveis

Luis Valente

A Arte Sonora esteve presente no evento de divulgação do cartaz completo do Super Bock Super Rock que se realizou no MAAT e aproveitámos para trocar umas palavras com Dino D’Santiago e Luís Montez.

Durante o evento estivemos à conversa com Dino D’Santiago que nos falou um pouco sobre o que podemos esperar do seu concerto no festival e revelou algumas novidades:

«Sinto que vou estar no sítio certo para mostrar o que realmente esta música nova a que me propus tem para dar. Definitivamente estamos a preparar um concerto especial para o festival e não posso divulgar muito mais, mas é um concerto que só vai acontecer no Super Bock Super Rock e este é mais um motivo para as pessoas estarem lá na fila da frente. 

Quanto aos temas, Dino D’Santiago promete que “Nova Lisboa” não vai faltar, «porque já se tornou num hino em que deixou de ser meu e passou a ser de toda a gente e quase que já consigo imaginar a reacção das pessoas a esse tema, o “Nôs Funaná” também sem dúvida. Ainda estou é a decidir se faço o “Tudo certo” com o Branko ou no meu concerto, é aquele dilema que ainda persiste e apenas quem estiver no concerto é que vai saber.

Dino conta-nos também que está muito focado nos próximos concertos que aí vêm, «hoje estamos a falar sobre o Super Bock Super Rock, mas antes ainda vem o NOS Alive, depois o Festival Med e finalmente o Super Bock e no mesmo mês temos também o festival de Sines, então vão ser logo assim 4 festivais em que estou a pensar com muito carinho, mas para o dia de hoje é o Super Bock e desejo tudo de bom. Vou estar a fazer um exclusivo com a Super Bock, Dino como artista e Dino como público, durante os dias do festival, a filmar os concertos que mais gosto e isso vai ser divertido.»

Falámos também com o director da Música no Coração, promotora responsável pelo festival Super Bock Super Rock, Luís Montez, que nos deu o seu parecer em relação ao festival e aos artistas presentes no cartaz deste ano:

«Do Super Bock Super Rock podem esperar uma edição muito forte para comemorarmos da melhor maneira estes 25 anos de festival. Não é normal um festival ter 25 edições seguidas, é um orgulho enorme e portanto temos que comemorar isso de uma forma impactante. Escolhemos um grande cartaz, investimos tudo no cartaz e quisemos ir para um espaço onde fomos muito felizes no passado, agora com melhores condições, com melhores acessos, com um estacionamento organizado. Aprendemos com os erros e estamos a tentar superar tudo isso.»

Luís Montez, relativamente aos artistas confirmados, referiu o facto de o Super Bock Super Rock concorrer com 800 festivais a nível europeu e como esta concorrência dificulta o processo de selecção e confirmação dos artistas, também devido à sua disponibilidade. Referiu ainda que em relação aos estilos, este é um cartaz muito homogéneo e disse-nos quais são para si os destaques desta edição:

«O primeiro dia com a Lana Del Rey com um disco novo que está mesmo a sair. Os The 1975, que tive a oportunidade de os ver agora em Abril ao vivo, que na minha opinião vão tornar-se numa banda de estádio à semelhança dos Coldplay, porque têm uma postura ao vivo de banda de estádio.  Ainda na quinta feira, no palco EDP, quero muito ver Metronomy e o Branko com o grande Dino D’Santiago, vai ser um momento muito forte.

Na sexta-feira, sou fã do produtor e dj Kaytranada. Vamos acabar uma noite ao som deste artista e isso nem nos meus melhores sonhos, se eu fizesse uma festa de aniversário, sonhava ter. 

Phoenix, eles têm muitos fãs em Portugal, é uma banda com boas canções. Charlotte Gainsbourg no Palco EDP, a francesa, Christine And The Queens também vai puxar muito. Estou curioso para ver o Calexico com Iron & Wine, é um projecto que foi criado para a estrada este ano, temos os Capitão Fausto que é uma banda que eu adoro, são os meus novos Xutos, têm um álbum incrível e quero parar tudo para estar a vê-los do princípio ao fim.»

Sobre sábado, o dia dedicado ao Hip Hop, que já se encontra com os bilhetes diários quase esgotados, Luís Montez refere as actuações de Migos, o trio de hip hop composto por Quavo, Takeoff e Offset, do rapper português Profjam, que editou  o seu novo disco “#FFFFFF” em 2019 e que apesar de o ano passado ter estado no palco EDP, onde teve bastantes dificuldades técnicas, acabou por dar um grande espectáculo. Motivos mais que suficientes, de acordo com Luís Montez, para este ano o rapper subir ao palco principal do festival. Janelle Monaé e Disclosure foram também destacados, «estive a ver o último concerto dela [Janelle Monaé], é incrível a performance que faz em palco com as suas bailarinas, é um espectáculo visualmente muito forte.Vai ser uma festa no Meco com tudo em grande. Nesse dia vai tocar o Masego no palco EDP e o Rubel que é um artista brasileiro que eu adoro e é imperdível… estou a vir da praia do Meco a ouvir Rubel, está lindo o festival, o cartaz está super.»

Podes consultar o cartaz completo do festival, aqui. O SBSR realiza-se nos dias 18, 19 e 20 de Julho, na Herdade do Cabeço da Flauta, em Sesimbra. O dia 18 de Julho já se encontra esgotado e o bilhete diário para os restantes dias custa 60€. O passe para os três dias tem um  valor de 110€.