Artist Playbook da Fender Pretende Ajudar Músicos nos Tempos Pós-Covid

Artist Playbook da Fender Pretende Ajudar Músicos nos Tempos Pós-Covid

Redacção

A Fender juntou-se ao músico e autor Ari Herstand para uma nova publicação, destinada a ajudar os artistas a navegar na indústria musical pós-pandémica, tão dependente das redes sociais, com dicas de planeamento, logística e estratégia de negócios.

A Fender observa que os «artistas emergentes em 2021 estão a enfrentar águas inexploradas». Factores como o TikTok, o live stream e a moeda criptográfica alteraram a forma como a indústria funciona.

Herstand disse numa declaração: «Uma coisa que tem sido muito clara neste último ano é que já não há uma forma de “fazer” no novo negócio da música. Muito francamente, há tantas formas de fazer uma carreira musical como há músicos. Isto é incrivelmente excitante, ao mesmo tempo que insanamente assustador. Sim, os artistas teoricamente podem fazer com que uma carreira musical aconteça por si próprios, com apenas o seu telefone, um microfone decente e algum wifi. Mas por onde começar? Que audiência se devem empenhar em conquistar? Quanto tempo e dinheiro é preciso?»

O Fender Artist Playbook oferece um guia passo-a-passo para artistas emergentes à medida que colidem com esta paisagem em mudança. Existem guias sobre como invadir o algoritmo TikTok, comercializar música digitalmente, cunhar os seus próprios NFT e muito mais. Mais especificamente, ataca o problema através de quatro vias: meios de comunicação social, streaming ao vivo, estratégia de lançamento e marketing digital. Um ponte de partida fulcral é a regra dos 50/50 – 50% do seu tempo gasto na música, os outros 50 no negócio.

Ainda que o canal entre artista e fã seja mais directo do que nunca, isso conduziu também a um mercado altamente competitivo. «Há mais de 60.000 canções carregadas no Spotify todos os dias», refere a Fender. «E a grande maioria delas jamais atingirá 1.000 streams».

O Fender Artist Playbook está disponível gratuitamente no website Fender. Também pode ser descarregado directamente em inglês aqui ou em espanhol aqui.

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.
EGITANA