As regras de reabertura do Coliseu Porto Ageas

As regras de reabertura do Coliseu Porto Ageas

Redacção

Após quase três meses de encerramento, e sempre em linha com as recomendações da Direção-Geral de Saúde, o Coliseu Porto Ageas vai reabrir a 1 de Junho.

O regresso insere-se na terceira fase do Plano de Desconfinamento definido pelo Governo e o Coliseu já começou a trabalhar na implementação das regras definidas pelo Ministério da Cultura para os teatros e salas de espectáculo.

Uma das principais mudanças será a redução da lotação. Com uma capacidade máxima de 4000 pessoas, o Coliseu Porto Ageas passará agora a ter como limite de público cerca de 1500 espectadores, sempre em lugares sentados, garantindo o distanciamento recomendado durante a realização dos nossos espectáculos.

Outras das medidas a aplicar passam pela definição de novos circuitos de circulação para o público (evitando ajuntamentos) e um frequente e rigoroso plano de limpeza e desinfecção das instalações, nomeadamente a higienização completa das salas antes da abertura de portas e após cada sessão.

«As medidas que estamos a implementar são fundamentais para que a reabertura se realize em rigorosas condições de segurança, de modo que todos – quem aqui trabalha e os públicos que nos visitam – sintam confiança em voltar a estar juntos», afirma a Presidente do Coliseu, Mónica Guerreiro. «Se a criação artística nos foi acompanhando durante o confinamento, das mais diversas formas, sem dúvida que ansiamos pelo regresso à experiência e ao contacto ao vivo, e por modelos de trabalho que assegurem a justa remuneração de artistas, produtores e técnicos.»

A bilheteira estará aberta a partir de segunda-feira, em horário reduzido, das 13h00 às 16h00 (de segunda a sábado). Nas transacções, será privilegiada, sempre que possível, a utilização de cartão bancário sem contacto. No caso dos espectáculos cancelados, o Coliseu procurará também efectuar a devolução para cartão multibanco, evitando o manuseamento de notas e moedas.

A aplicação de medidas extraordinárias e de carácter urgente com o objectivo de conter a transmissão do novo Coronavírus passou, desde o primeiro momento, pelo encerramento de instalações e estabelecimentos onde se desenvolvem actividades culturais e artísticas. De um momento para o outro, artistas, equipas técnicas, promotores e salas de espectáculo foram os primeiros a ver a sua actividade suspensa.