Billy Duffy Aliena Parte Do Catálogo Dos Cult

Billy Duffy Aliena Parte Do Catálogo Dos Cult

Redacção

A Round Hill Music adquiriu parte do catálogo de Billy Duffy, célebre compositor e guitarrista dos Cult. Estas operações financeiras parecem ter virado rotina na indústria musical internacional. Não foram divulgados os números envolvidos.

O guitarrista dos Cult Billy Duffy é o mais recente nome internacional a ceder e a vender parte do seu catálogo de músicas, desta feita à empresa Round Hill Music (RHM).

Billy Duffy diz ter ficado satisfeito com o acordo e ressalvou que prefere «trabalhar com pessoas do que com instituições», explicando: «Não ia deixar uma grande parte do trabalho da minha vida ir para qualquer um, por isso em Robin, Josh e o resto da equipa na Round Hill sei que encontrei pessoas que respeitarão e apreciarão a minha música».

No momento de dar a conhecer o acordo, mas não os seus contornos, o director executivo da RHM em Londres, Robin Godfrey-Cass, afirmou: «Já trabalhei com Billy e ele é uma verdadeira lenda do rock. The Cult está lá em cima entre as melhores bandas que este país alguma vez produziu. Como fã de longa data, sinto-me completamente honrado por voltar a trabalhar com ele».

Por sua vez, Josh Gruss, fundador e CEO da RHM, disse: «Aproveitámos a oportunidade de trabalhar com Billy Duffy quando soubemos que ele estava à procura de uma nova casa para o seu catálogo. Foi uma emoção conhecer Billy ao longo dos últimos anos. Ele construiu um corpo de trabalho tão espantosamente rico e duradouro ao longo das últimas quatro décadas e ainda está cheio de criatividade e energia, é inspirador».

UMA HISTÓRIA DE SUCESSO

Billy Duffy, nascido em Manchester, mudou-se para Londres no início dos anos 1980 e começou a tocar guitarra com a banda Theatre Of Hate antes de conhecer Ian Astbury, que na altura era o vocalista da banda vanguardista Southern Death Cult. Ambos iniciariam, então, uma nova banda chamada Death Cult.

Após o lançamento de dois singles, a banda encurtou o seu nome para The Cult e lançou o seu primeiro single “Spirit Walker” antes do seu aclamado primeiro álbum “Dreamtime”.

A banda lançou o seu segundo álbum “Love” em 1985, que ficou em número quatro no Reino Unido e incluía singles de grande sucesso como “She Sells Sanctuary” e “Rain”.

Produzido por Rick Rubin, o terceiro álbum dos The Cult, “Electric”, lançado em 1987, apresenta algumas das canções mais populares da banda, incluindo “Fire Woman”, “Sun King”, “Edie (Ciao Baby)” e “Sweet Soul Sister”, e introduziu a banda a uma nova base de fãs, particularmente nos EUA.

Em 1988, Duffy mudou-se para Los Angeles, onde começou a trabalhar no álbum “Sonic Temple”, de 1989. Este período viu a popularidade dos The Cult subir em flecha com a banda a encher estádios em todo o mundo. O reconhecimento global da banda atingiu então o seu auge com o lançamento de “Ceremony”, em 1991, antes de fazerem uma pausa em 1995.

Pararam as actividades entre 1999 e 2002, reunindo-se novamente em 2006 para realizarem uma série de digressões mundiais. Desde então, lançaram mais três álbuns de estúdio: “Born In This” (2007), “Choice Of Weapon” (2012) e “Hidden City” (2016), que não estão incluídos neste acordo assinado com a RHM.

Em Abril de 2019, os The Cult anunciaram uma digressão mundial para celebrar o 30º aniversário do lançamento do seu quarto álbum “Sonic Temple” e em 2020 revelaram as suas intenções de gravar um novo álbum com o produtor Tom Dalgety nos lendários Estúdios Rockfield no País de Gales, onde tinham gravado o seu álbum de estreia.

Este novo disco, ainda sem data prevista, será lançado através da subsidiária rock da Round Hill, a Black Hill Records.

EGITANA