Billy Gibbons Foi Para o Deserto Gravar o Seu 3º Álbum a Solo

Billy Gibbons Foi Para o Deserto Gravar o Seu 3º Álbum a Solo

Nero
Rock Your Business

Depois de “Perfectamundo” (2015) e “The Big Bad Blues” (2018), “Hardware” é o terceiro álbum a solo do nosso barbudo favorito, Billy Gibbons. Alinhamento, capa e novo single já disponíveis.

O frontman dos ZZ Top, já terminou a gravação e pós-produção do seu novo disco a solo e está pronto para lançamento a 4 de Junho, pela Concord Records Records. O álbum foi gravado no Escape Studio, no deserto californiano, perto de Palm Springs, e foi produzido por Gibbons juntamente com Matt Sorum e Mike Fiorentino, tendo o engenheiro Chad Shlosser assumido os retoques finais do trabalho.

O lançamento do álbum é precedido pelo lançamento do single “West Coast Junkie”. O vídeo, que podem ver no fundo do artigo, foi filmado perto de Joshua Tree, a um passo do estúdio.

Sorum, veterano baterista dos Guns N’ Roses, Velvet Revolver ou The Cult, surge aqui nessas mesmas funções também. O guitarrista Austin Hanks completa a banda de base neste trabalho. Os dois músicos já haviam feito parte do anterior álbum de Gibbons.

Precisamente, em contraste com “The Big Bad Blues” e “Perfectamundo”, quase todo o repertório de “Hardware” é original. A única excepção é “Hey Baby, Que Paso”, originalmente gravado pelos Texas Tornados. O título do álbum é uma homenagem ao lendário engenheiro Joe Hardy, que trabalhou com Gibbons e ZZ Top desde meados da década de 80.

Sonicamente, Gibbons refere a influência da paisagem: «Os ambientes do deserto, repletos de areias movediças, cactos e cascavéis, criam uma paisagem de fundo que transporta um elemento de intriga reflectido nos sons aí criados».

Elementos de hard rock tradicional, neo-metal, country rock, new wave, blues e até mesmo música de surf tornam “Hardware” difícil de categorizar. Billy resume a construção ecuménica do álbum: «Escondemo-nos no deserto durante algumas semanas, no pico do Verão, e isso, por si só, foi bastante intenso. Para desanuviar, deixámo-nos ‘rockar’ e é disso que se trata realmente de “Hardware”. Na sua maioria, é um feroz rocker, mas sempre atento aos mistérios implícitos do deserto».

01. My Lucky Card; 02. She’s On Fire; 03. More-More-More; 04. Shuffle, Step & Slide; 05. Vagabond Man; 06. Spanish Fly; 07. West Coast Junkie; 08. Stackin’ Bones (featuring LARKIN POE); 09. I Was A Highway; 10. S-G-L-M-B-B-R; 11. Hey Baby, Que Paso; 12. Desert High

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.

EGITANA