Buzz Osborne, «Motage of Heck é um monte de m****»

Buzz Osborne, «Motage of Heck é um monte de m****»

Redacção

O frontman dos Melvins, amigo íntimo de Kurt Cobain, de quem foi companheiro de escola, arrasa o realizador e Courtney Love.

Em declarações ao espaço The Talkhouse, Buzz Osborne, guru dos Melvins, afirma que 90% do documentário de Brett Morgen sobre Kurt Cobain, “Montage Of Heck”, é «um monte de m****»! Osborne foi um dos amigos mais próximos de Kurt, além de mentor e também colega de liceu. O músico refuta a maior parte do filme, inclusive as partes mais específicas como os problemas crónicos de estômago do frontman dos Nirvana e o alegado encontro de cariz sexual com uma rapariga com distúrbios mentais, além dos detalhes revelados da relação entre Kurt e Courtney Love e de uma anterior tentativa de suicídio. Alegando que «o que ninguém nunca percebeu sobre Cobain é que ele era um mestre a gozar contigo».

«Sei que toda a história do “tentei f**** uma gorda retardada” é um completo monte de balelas. Nem sequer uma unha próximo da verdade. Essa é uma história demasiado intensa para apenas agora ter conhecimento dela, particularmente se, como é sugerido, o pai da miúda se passou com isso, enquanto andávamos no liceu. Num pardieiro de cidade, novidades como essa seriam do conhecimento público do dia para a noite. Nunca aconteceu. E o tentar-matar-se-amarrado-aos-carris-do-comboio é outra treta. Também nunca aconteceu. Contudo, aí está contado numa gravação com a voz do Kurt, portanto deve ser verdade… Certo? Errado»!

Vemos um Kurt, semi-despido, a barbear-se e a sua mulher por trás a exibir-se, a mostrar as suas mamas e a fazer caretas ao cameraman, que suspeito ser Eric Erlandson, antigo guitarrista de Hole e ex-namorado da Courtney. A sério?! Provavelmente, o Kurt teve que levar com m**** dessa todos os dias. Meu Deus, que inferno.

O frontman dos Melvins também torce o nariz às declarações de Courtney Love, «muitas das coisas que diz no documentário não batem certo com as coisas que o Kurt me dizia». E acrescenta que, quando Courtney fala, «a verdade anda ali, mas só Deus sabe onde começa e acaba. Nestes 20 anos, desde a morte do Kurt, os factos incontestáveis em algumas das suas histórias mudam quase de hora a hora. Permaneço cheio de dúvidas com o seu testemunho e acho que não estou sozinho nisso».

Durante todas as declarações, Osborne mantém um tom crítico com os cineastas e como se limitaram a seguir as afirmações de Kurt e Courtney, sem se preocuparem com qualquer verificação de factos. A entrevista pode ser lida, integralmente, aqui.

EGITANA