Cientistas alemães rastreiam coronavírus em concerto para 4000 pessoas

Cientistas alemães rastreiam coronavírus em concerto para 4000 pessoas

Redacção

Cientistas alemães estão a planear equipar 4.000 fãs de música com frascos de desinfectante fluorescente e dispositivos de rastreio para ter uma ideia clara de como a propagação do coronavírus pode ser evitada em grandes concertos indoor. A experiência acontece a 22 de Agosto, em Leipzig.

O concerto é do cantor Tim Bendzko, dia 22 de Agosto, na Sala de Concertos de Leipzig, Alemanha. A ocasião poderá ser realmente importante… Segundo noticia o The Guardian, os participantes desta experiência, com idades compreendidas entre os 18 e os 50 anos, serão convidados a usar um dispositivo do tamanho de um fósforo, que transmitirá um sinal a intervalos de cinco segundos, ao mesmo tempo que os cientistas recolhem dados sobre os movimentos de cada pessoa e a sua proximidade a outros membros da audiência.

Uma vez no interior, será também pedido aos participantes que desinfectem as suas mãos com desinfectante fluorescente, o que permite aos cientistas vasculhar posteriormente o local para identificar as superfícies onde a transmissão do vírus através da infecção é mais provável de ocorrer. Os vapores bombeados de uma máquina de fumo, entretanto, ajudarão a visualizar a propagação do vírus através de aerossóis.

Para evitar que a experiência provoque um novo surto, os voluntários também serão testados cerca de 48 horas antes do início do espectáculo. Aqueles que não puderem apresentar provas de um teste negativo, serão impedidos de entrar. Será também fornecida uma máscara facial a cada participante, embora os organizadores digam que o risco de apanhar o vírus no concerto é “extremamente exíguo“.

Pensa-se que mais de 775 pessoas tenham já aderido à experiência até à data. Os cientistas esperam apresentar as suas conclusões no início de Outubro.