Covid-19: Novo Estudo Conclui Que Salas De Espectáculos São Seguras

Covid-19: Novo Estudo Conclui Que Salas De Espectáculos São Seguras

Redacção

Um segundo estudo realizado na Alemanha conclui que as salas de espectáculos não são locais de infecção. «Queremos assegurar que as salas de concertos e teatros possam admitir novamente audiências suficientes quando forem reabertos».

Depois de em Novembro se ter concluído, após um estudo realizado por cientistas alemães, que os concertos em sala são seguros, eis que surge agora um novo estudo, igualmente realizado em terras germânicas, que demonstra existir um risco mínimo de transmissão de covid-19 em salas de concertos.

O estudo, que teve lugar no Konzerthaus de Dortmund, de 1500 lugares, foi realizado durante três dias em Novembro para analisar o movimento de partículas transportadas pelo ar num ambiente interior.

Liderado pelo Instituto Fraunhofer Heinrich Hertz e apoiado pela Agência Federal do Ambiente da Alemanha, o estudo viu cientistas utilizar um boneco de alta tecnologia para simular a respiração humana.

Após medir a transmissão de aerossóis através do local em três datas separadas, a equipa concluiu que o risco de infectar alguém «através da transmissão de aerossóis pode ser quase excluído», desde que o local tenha um fornecimento de ar fresco suficiente e que todos os participantes estejam a usar máscaras faciais.

«Salas de concertos e teatros não são locais de infecção», disse o Dr. Raphael von Hoensbroech, director da Konzerthaus Dortmund, em declarações à IQ Magazine. «Os últimos meses mostraram que a política necessita de uma base cientificamente sólida para a tomada de decisões. Com o nosso estudo, queremos assegurar que as salas de concertos e teatros possam novamente admitir audiências suficientes quando reabrirem».

Embora o estudo apenas forneça resultados concretos para transmissão naquela sala específica, os cientistas dizem que os resultados podem ser aplicados em locais de dimensão semelhante – embora seja recomendado que funcionem com uma capacidade reduzida.

Os resultados surgem depois de uma experiência realizada em Leipzig no Verão passado, e que viu fãs de música participarem em três concertos sucessivos realizados pelo cantor pop alemão Tim Bendzko.

Entretanto, o The 100 Club, de Londres, deverá implementar um novo sistema de ventilação ainda este mês, que visa eliminar 99,99% dos agentes patogénicos perigosos transportados pelo ar, tais como o coronavírus, dentro dos edifícios.

Os cientistas manifestam também a importância da implementação de medidas como a esterilização de equipamentos, à semelhança do que propõe a empresa portuguesa que desenvolveu a Phoenix MB72.

EGITANA