Covid-19: Startup Portuguesa Poderá Desenvolver App Para Agilizar Entrada nos Eventos

Covid-19: Startup Portuguesa Poderá Desenvolver App Para Agilizar Entrada nos Eventos

Nuno Sarafa

Aplicação portuguesa poderá permitir não só a marcação de testes rápidos à Covid-19, que serão realizados cerca de 30 minutos antes de os espectadores entrarem nos recintos, como o controlo e agilização do acesso aos eventos.

A startup portuguesa ThinkerDots poderá vir a desenvolver uma aplicação para gerir a entrada de visitantes nos festivais através do rastreamento de testes de Covid-19, assim como a possibilidade de marcação de testes rápidos realizados na entrada dos recintos.

A app será uma das várias propostas apresentadas no dia 31 de Março, na final do Linking Up – um programa de inovação aberta –, que será transmitido online numa sessão que contará com a participação da secretária de Estado do Turismo Rita Marques.

Em declarações à AS, Tiago Fernandes, responsável da startup ThinkerDots, explicou que a futura aplicação, que «deverá ser gratuita para os utilizadores», permitirá não só agendar a realização dos testes – que serão feitos pela Cruz Vermelha Portuguesa à entrada dos recintos -, como acelerar o processo de entrada dos espectadores nos mesmos.

«Penso que será feito um teste rápido no próprio dia dos eventos, pela Cruz Vermelha, cerca de 20/30 minutos antes de as pessoas entrarem para os recintos. Se os espectadores fizerem um teste normal antes, também será válido, desde que seja validado na plataforma. Quando são conhecidos os resultados, é enviado para os utilizadores um QR Code, que deverá ser mostrado ao staff que está à entrada do recinto, comprovando assim o resultado dos seus testes».

Tiago Fernandes garante ainda que a nova aplicação «não irá violar a privacidade dos utilizadores» ou a protecção dos seus dados, uma vez que «não há qualquer rastreamento ou trocas de informação», mostrando-se ainda «confiante» de que o desenvolvimento da aplicação vai mesmo para a frente.

A nova app deverá ser testada pela primeira vez no festival gastronómico Chefs on Fire, que acontece no Estoril nos dias 22 e 23 de Setembro. «O objectivo é voltar a realizar eventos seguros, garantindo que todos os participantes testaram negativo ao novo coronavírus», explica Luís Matos Martins, CEO dos Territórios Criativos, a consultora de apoio ao empreendedorismo que organiza o Linking Up.

Segundo Luís Matos Martins, «esta aplicação faz antever o regresso dos eventos culturais e de lazer com segurança já que, com o desenvolvimento do projecto, estará disponível uma solução acessível para outras iniciativas dirigidas ao grande público, assim como facilitar o acesso a salas de espectáculos, museus, concertos, etc».

A ser efectivamente desenvolvida, esta aplicação irá assim juntar-se a todas as soluções que a indústria tem tentado encontrar para uma retoma em segurança, como os concertos-piloto previstos em Portugal para os próximos tempos.

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.
EGITANA