Estúdio na Amadora faz apelo para não ter de encerrar

Estúdio na Amadora faz apelo para não ter de encerrar

Nuno Sarafa

Os efeitos da pandemia na indústria musical continuam na ordem do dia. Com as restrições na actividade e a retracção na economia, muitas são entidades a passar dificuldades por estes dias. Um desses casos é o do estúdio Rock ‘N’ Raw, na Amadora, que publicou um apelo nas redes sociais.

«As coisas não estão fáceis para os Rock ‘N’ Raw estúdios. Continuamos agora à mercê das vontades da Câmara Municipal da Amadora, que continua a impor o fecho às 20h, com muito poucas bandas neste momento no activo, sendo Agosto um mês sempre difícil e, com salas reservadas às bandas residentes por ocupar, o nosso futuro é muito incerto», escrevem os responsáveis daquele espaço.

Como se não bastassem os efeitos da pandemia, ainda segundo quem gere o estúdio Rock ‘N’ Raw, o volume de trabalho nas últimas semanas decaiu vertiginosamente: «Esta semana, tivemos o estúdio ocupado apenas 4 horas! Uma gravação na 2ª feira de tarde, 4 horas de trabalho para uma semana inteira…. nem ensaios, nem mais gravações, nem aulas, mais nada. (…) Estamos com menos actividade do que tínhamos em Junho quando reabrimos. Disto isto, continuamos à procura de bandas para aluguer mensal da Sala Verde e pelo menos mais uma banda para dividir espaço com os 11th Dimension, na Sala Azul. São salas que permitem às bandas desenvolverem o trabalho no maior conforto, condições e segurança possíveis, num ambiente onde o encontro com outros músicos, promotores, editoras e fotógrafos é constante… um mini “cluster” do Underground. A nossa sala vermelha continua obviamente disponível para as gravações e ensaios avulso. Partilhem esta imagem para ver se aparece alguém que precise de espaço para ensaiar. Keep on rocking \,,/».