Exposição “Iconic Bowie” no Porto

Exposição “Iconic Bowie” no Porto

Redacção

O Arrábida Shopping recebe a exposição “Iconic Bowie” que conta com a curadoria artística de David Fonseca e que estará patente naquele espaço comercial entre os dias 5 de Setembro e 4 de Novembro com entrada livre.

Numa selecção feita a partir do acervo concentrado na conceituada agência de fotografia Iconic Images, conta com originais de Norman Parkinson, Terry O’Neill, Gerald Fearnly e Markus Klinko. A selecção de fotografias foi feita em estreita colaboração com Cristina Carrillo de Albornoz Fisac crítica de arte, autora de livros e curadora que trabalha com a Iconic Images, museus e galerias de todo o mundo. “Iconic Bowie” é a exposição que revela 40 imagens únicas e muito especiais deste mítico artista.

David Fonseca, músico e fotógrafo português, assume a direção artística do programa musical paralelo à exposição e está na co-curadoria, partilhada com a curadora, autora e crítica de arte Cristina Carrillo de Albornoz Fisac. 

Em paralelo à exposição, a colaboração de David Fonseca traduz-se ainda na realização de três showcases de características muito especiais, inteiramente focados no repertório do “camaleão da pop”, num registo próximo e intimista. Assim, no dia 5, David Fonseca actuará na sala 15 dos Cinemas UCI a anteceder a exibição do documentário “David Bowie: The Last Fice Years” (Sessão especial está reservada exclusivamente a clientes UCI Card); no dia 26, na mesma sala, David Fonseca convida Catarina Salinas, a voz dos Best Youth, para um momento musical antes da reposição de “Merry Christmas Mr. Lawrence”, o filme de 1983 de Nagisa Ôshima que contou com David Bowie como actor principal; já a 25 de Outubro, em jeito de “finissage”, a convidada será Marta Ren, numa actuação que decorrerá em espaço contíguo à exposição.

A entrada é gratuita e pode ver-se de segunda a domingo, das 9h às 23h, e sextas e sábados, das 9h às 24h. 

OS FOTÓGRAFOS

Norman Parkinson foi o fotógrafo de moda mais célebre do séc. XX e pioneiro em criar uma narrativa fotógrafica, ao contrário da rigidez e formalidade dos seus antecessores. As suas fotografias criaram a era das supermodelos e fizeram dele o preferido de celebridades, artistas, presidentes, primeiros-ministros, bem como da família real britânica, em público e privado. É o caso de Audrey Hepburn, The Beatles, Twiggy, Grace Coddington, David Bowie, Iman, Jerry Hall e muitos outros, ao longo de uma carreira que durou 70 anos, até ao seu desaparecimento, em 1990.

Terry O’Neill é um dos fotógrafos mais coleccionados do mundo, com trabalhos em galerias de arte e colecções privadas em todo o mundo. Durante mais de 60 anos fotografou inúmeras celebridades da música, cinema, moda e personalidades políticas, desde Winston Churchil a Nelson Mandela, de Frank Sintra e Elvis Presley a Rolling Stones a David Bowie e Amy Winhouse ou de Audrey Hepburn e Brigitte Bardot a Nicole Kidman, passando por todos os actores que interpretaram o papel de James Bond (007), entre outros. As suas fotos estão em inúmeras capas de álbuns históricos do rock, capas de revistas ou posters de filmes.

Markus Klinko começou por fotografar concertos e projectos ligados à música e passou para a área da moda, desenvolvendo projectos editoriais e campanhas de publicidade para reconhecidas marcas de cosméticos. Beyoncé, Lady Gaga, Kanye West, Naomi Campbell, Iman e David Bowie, entre muitos outros, foram alvos da sua objetiva. É também colaborador de publicações como New York Times, Vanity Fair, Harper’s Bazaar, Interview, Vogue e GQ, entre outras.

Justin de Villeneuve é um fotógrafo, produtor e empresário que influenciou a moda e a cultura nos anos 60 do Swinging. Como fotógrafo, Justin fotografou muitos ícones dos anos 60 e 70, incluindo o retrato clássico de David Bowie com Twiggy para o álbum Pin-Ups.

Milton H. Greene deixou a sua marca como um dos fotógrafos mais celebrados do mundo. O seu trabalho nos anos cinquenta e sessenta apareceu em revistas como a Life, Look, Harper’s Bazaar, Town & Country e Vogue. O trabalho mais notável de Greene é com Marilyn Monroe. Conheceram-se em 1953 e, no fim da sua relação de trabalho de quatro anos, ficou a notável colecção de 50 sessões diferentes, produzindo mais de 3 mil fotografias únicas.

Gerald Fearnley conheceu David Bowie através do seu irmão, que era baixista da banda de apoio de Bowie. É autor das fotografias do álbum de estreia do músico (lançado em 1969) e nesta exposição apresenta raras fotos de David Bowie quando tinha 20 anos e que foram conhecidas apenas recentemente.