Facebook altera regras sobre música em regime livestream

Facebook altera regras sobre música em regime livestream

Redacção

O Facebook clarificou as novas regras que entram em vigor dia 1 de Outubro sobre a utilização de música em regime de livestream na rede social. As regras vão afectar principalmente os artistas.

A partir de 1 de Outubro, os utilizadores da rede social Facebook deixarão de ser autorizados a hospedar “experiências de audição de música” na plataforma.

Durante o confinamento foram muitos os artistas que escolheram a rede social para transmitir suas apresentações ao vivo. Uma alternativa aos concertos, mas que não deve continuar dentro de algumas semanas. A plataforma de Mark Zuckerberg actualizou agora as suas condições gerais, nas quais existem directrizes específicas para o uso de música.

Segundo as novas regras, tal como explicado nas Directrizes Musicais do Facebook, os responsáveis da plataforma explicam: “Não poderá utilizar vídeos nos nossos produtos para criar uma experiência de escuta de música. Queremos que possa desfrutar de vídeos publicados pela família e amigos. No entanto, se utilizar vídeos nos nossos produtos para criar uma experiência de audição musical para si ou para outros, os seus vídeos serão bloqueados e a sua página, perfil ou grupo poderá ser apagado. Isto inclui Live“.

Inicialmente, os criadores podiam ser potencialmente penalizados por carregar o seu próprio vídeo musical no Facebook. Agora, a plataforma emitiu uma longa declaração para esclarecer as regras – que podes ler na íntegra:

Queremos encorajar a expressão musical nas nossas plataformas, assegurando ao mesmo tempo que mantemos os nossos acordos com os detentores de direitos. Estes acordos ajudam a proteger os artistas, compositores e parceiros que são a pedra angular da comunidade musical – e estamos gratos pela forma como permitiram a espantosa criatividade a que assistimos neste tempo. As nossas parcerias com detentores de direitos reuniram pessoas em torno da música nas nossas plataformas. Como parte dos nossos acordos de licenciamento, existem limitações em torno da quantidade de música gravada que pode ser incluída em transmissões ao vivo ou vídeos. Embora as especificidades dos nossos acordos de licenciamento sejam confidenciais, hoje partilhamos algumas directrizes gerais para o ajudar a planear melhor os seus vídeos: Música em histórias e apresentações de música tradicional ao vivo (por exemplo, filmar um artista ou banda a actuar ao vivo) são permitidas. Quanto maior for o número de faixas gravadas em longa-metragem num vídeo, mais provável é que seja limitado. São recomendados clips de música mais curtos. Deve haver sempre um componente visual no seu vídeo; o áudio gravado não deve ser o objectivo principal do vídeo. Estas directrizes são consistentes em vídeo ao vivo e gravado tanto no Facebook como no Instagram, e para todos os tipos de contas – ou seja, páginas, perfis, contas verificadas e não verificadas. E embora a música seja lançada nas nossas plataformas em mais de 90 países, há lugares onde ainda não está disponível. Portanto, se o seu vídeo inclui música gravada, pode não estar disponível para utilização nesses locais“.

Há alguns dias, um porta-voz do Facebook também confirmou à revista NME que embora as novas directrizes entrem em vigor em todo o site em Outubro, “as directrizes musicais já estão em vigor há algum tempo e não afectarão os artistas que utilizam o site para partilhar a sua música“.

 

EGITANA