Fender Enfrenta Acusação da Autoridade Britânica da Concorrência e Mercados

Fender Enfrenta Acusação da Autoridade Britânica da Concorrência e Mercados

Nero

A Competition and Markets Authority acusou a Fender Europe de seguir uma política de revenda com manutenção de preço, o que dificulta a livre concorrência dos retalhistas e aumenta o custo para os consumidores.

Em Abril deste ano, a Fender Europe já havia sido multada em 25 mil libras pela Competition and Markets Authority (CMVM britânica). Na altura, foi ainda confirmado que a empresa estava sob investigação devido a prácticas de consertação de preços.

De resto, a CMA está actualmente a investigar várias das empresas de guitarras e tecnologia musical – incluindo a Fender, Roland, Yamaha e Korg – a respeito de práticas desleais de fixação de preços. Qualquer empresa que seja considerada culpada de promover a fixação de preços pode ser multada num valor de até 10% do seu volume de negócios global.

Agora a Fender Europe foi efectivamente acusada pela Consumer and Market Authority (CMA) de restringir os descontos online dos seus produtos de forma ilegal. Em comunicado a CMA alega que, entre 2013 e 2018, Fender Musical Instruments Europe Limited, que fornece retalhistas no reino Unido, praticou uma política de revenda com manutenção de preço. Isso é ilegal no Reino Unido, pois limita a capacidade dos retalhistas de livremente competirem no preçário, o que significa menos descontos para os consumidores.

Anna Pope, directora da CMA afirma que é mais importante que nunca prevenir que políticas de revenda com manutenção de preço distorçam o mercado de vendas online. «Levamos estas alegações muito seriamente, pois eliminam um dos benefícios da internet que é a facilitação de rapidamente encontrar o melhor preço de compra. Impede os lojistas online de venderem aos preços que querem e isso faz com que os preços fiquem mais altos para os consumidores», afirmou Pope.

Esta situação é provisória. Até ao final do ano será decidido se o caso enfrentará julgamento e durante este período a empresa pode definir a sua representação legal. Porta-voz da Fender EMEA referiu que a «Fender está empenhada em cooperar com a investigação da CMA e a rever estas descobertas», escusando-se a tecer mais comentários, uma vez que neste momento o processo legal está a decorrer.

Em Agosto deste ano, a Casio foi multada em 3.7 milhões de libras, por impedir a prática de descontos online nos seus teclados e pianos digitais. Presentemente, a CMA está a investigar mais três casos de práticas deste tipo no sectos dos instrumentos musicais.