Fender Punida pela Autoridade Britânica da Concorrência e Mercados

Fender Punida pela Autoridade Britânica da Concorrência e Mercados

Nero

Num acordo com o governo britânico, o departamento europeu da Fender admitiu a sua culpa na desvirtuação de preços em lojas online e vê atenuada a sua penalização. A marca terá que pagar uma multa de 4.5 milhões de libras.

Em Abril de 2019, a Fender Europe já havia sido multada em 25 mil libras pela Competition and Markets Authority (CMVM britânica). Na altura, foi ainda confirmado que a empresa estava sob investigação devido a práticas de consertação de preços.

De resto, a CMA está actualmente a investigar várias das empresas de guitarras e tecnologia musical – incluindo a Fender, Roland, Yamaha e Korg – a respeito de práticas desleais de fixação de preços. Qualquer empresa que seja considerada culpada de promover a fixação de preços pode ser multada num valor de até 10% do seu volume de negócios global.

Em Outubro, a Fender Europe foi efectivamente acusada pela Consumer and Market Authority (CMA) de restringir os descontos online dos seus produtos de forma ilegal. O caso redundou agora numa pesada multa ao departamento europeu da marca californiana, num total de 4.5 milhões de libras britânicas.

A marca admitiu violar as leis da concorrência ao «praticar uma política que visava restringir os lojistas do Reino Unido de aplicarem descontos nos seus preços online», como cita o governo britânico. Entre 2013 e 2018, a CMA indica que a Fender exigiu que as suas guitarras fossem vendidas ao seu preço mínimo ou acima dele. Na investigação a CMA encontrou provas de ocasiões em que a marca pressionou os lojistas a subirem os seus preços online, após ter conhecimento de que estes não estavam a seguir as suas instruções.

A investigação cita emails e textos dos servidores TI e telefones móveis. A Fender admitiu a sua culpa sob alçada dos procedimentos de clemência e acordo da CMA. Neste caso, uma companhia que admita acções ilegais e coopere com a investigação vê reduzidas as suas penalizações.

Ainda assim, estes 4.5 milhões de libras são a multa mais elevada aplicada num casos destes, ultrapassando a penalização de 3.7 milhões que o governo britânico impôs à Casio por práticas similares no mercado dos teclados e pianos digitais. A Comissão Europeia já multou outras empresas devido a este comportamento, casos da: Philips, Pioneer, Asus e Denon.

Para seguirem toda a informação e cronologia, podem acompanhar a página governamental da investigação do caso Fender. A AS tentará perceber se este tipo de acções é aplicado em Portugal.