A Fender Tem Novo Dono

A Fender Tem Novo Dono

Nero

A Servco, um dos investidores que resgatou a Fender das garras da CBS, nos anos 80, adquiriu acções da TPG Growth com quem partilhava a liderança e tornou-se na principal accionista da marca californiana.

A Fender anunciou que a Servco Pacific Inc., um investidor de longa data, atingiu uma plataforma de entendimento com a TPG Growth, adquirindo parte das acções que esta empresa detinha da histórica marca de instrumentos. Esta manobra torna a Servco o accionista maioritário da Fender Musical Instruments Corp [FMIC]. Até aqui a liderança era partilhada com a TPG Growth.

Andy Mooney, CEO da FMIC, deixou comunicado: «A Fender atravessou quase uma década de crescimento sustentado sob a alçada conjunta da Servco e TPG Growth. Agradecemos à TPG Growth a sua contribuição em vários níveis, estratégicos e tácticos, e o seu apoio na expansão para os produtos e serviçoes digitais».

No comunicado, Mooney refere que a nível operacional tudo permanecerá igual, a «Fender vai continuar com a mesma excepcional equipa de gestão, que tem sido pivotal no nosso crescimento mais recente. Não podemos esperar para aumentar esta relação de longa data entre a FMIC e a Servco, que comunga do nosso ideal de apoiar músicos e artistas em cada fase da sua viagem musical».

Relação de longa data é um termo mais do que apropriado para falar da Fender e Servco. A parceria teve início na década de 1950, com a Servco a distribuir produtos da marca fabricante de instrumentos. Em 1985, a Servco era parte de um pequeno grupo de investimento que apoiou Bill Schultz na compra da Fender à CBS, acabando de vez com aquela que os admiradores da marca consideram a sua era mais negra.

Recentemente, a Fender (a sua sede europeia) foi alvo de punição do governo britânico, devido a infracções a regras de mercado, sendo multada em vários milhões de libras.

Num aspecto mais positivo, a marca californiana esteve em grande forma na NAMM 2020, estreando produtos de grande interesse como a gama Parallel Universe 2, a recuperação dos modelos históricos Lead e Heavy Metal ou os cativantes modelos de assinatura de Tom Morello, Jim Root e George Harrison.