Festival Rádio SBSR.FM Em Sintonia com cartaz completo

Festival Rádio SBSR.FM Em Sintonia com cartaz completo

Mariana Matos

O Festival Rádio SBSR Em Sintonia tem dois dias dedicados à música nacional, em vários palcos, com concertos ao vivo na Altice Arena, nos dias 18 e 19 de Dezembro.

O Rádio SBSR. FM Em Sintonia promete levar alguns dos melhores nomes da nova música nacional até à Altice Arena, em Lisboa, cumprindo todas normas e orientações da Direção-Geral da Saúde. Depois das confirmações de nomes como ProfJam & benji price, Capitão Fausto, B Fachada ou Papillon, e a realização do ciclo de conferências “A Indústria da Música no Contexto Atual”, há mais motivos de interesse adicionados ao cartaz, que vai acontecer em simultâneo em três salas da Altice Arena, com lugares sentados.

O Palco Santa Casa, instalado no Sala Tejo, vai receber momentos e projetos emergentes da nova música portuguesa: no primeiro dia 18 de Dezembro, conta-se com Afonso Cabral, Filipe Karlsson e IAN. Já no segundo dia, 19 de Dezembro, é a vez de se ouvir Chico da Tina e Paulo Bragança, além do concerto Closer Integral 2020, espetáculo que assinalará os 40 anos do clássico álbum dos Joy Division.

Podes adquirir um bilhete único válido para os 2 dias à venda em meoblueticket.pt e nos locais habituais. Até a 17 de dezembro o bilhete custa30€ e nos dias do evento 35€.

Estes nomes completam o cartaz já anunciado:

Mais conhecido pelo seu trabalho enquanto vocalista dos You Can’t Win, Charlie Brown, Afonso Cabral revelou em 2019 o seu primeiro disco em nome próprio e em português. No final do ano passado, o músico levou ao palco do Centro Cultural de Belém, em Lisboa, a formação de 14 elementos que gravou “Morada” e aproveitou para registar esse concerto num EP recentemente editado. “Ao Vivo no CCB” inclui uma canção inédita, uma versão de um tema de Luís Severo e um dueto com Francisca Cortesão. A convite da Antena 1, revisitou o tema “Ai Mouraria” no disco de homenagem a Amália Rodrigues, “Com Que Voz”.

O EP “Teorias do Bem Estar” marca a estreia a solo de Filipe Karlsson, multi-instrumentista luso-sueco baseado em São João do Estoril. O disco, que foi totalmente composto, tocado e produzido pelo próprio, saiu em maio 2020. O disco, que foi totalmente composto, tocado e produzido pelo próprio, saiu em maio 2020. Este trabalho cruza com mestria e sem preconceitos o brilho da pop sueca de décadas passadas com o rock n’roll imponente dos seus Zanibar Aliens, num resultado final composto, em doses iguais, por riffs de guitarra orelhudos e melodias de teclado que teimam em não nos sair da cabeça. “Bem Estar” e “Prejuízo” são algumas das canções que fazem parte do reportório de Filipe Karlsson.

Depois da edição do primeiro EP, e de ter aberto nos Coliseus de Lisboa e Porto os concertos dos The Gift, IAN atuou em palcos internacionais como o Clube Sixteen Tons, em Moscovo, e o Museu Erarta de São Petersburgo. O EP “Seguir em Frente” foi a segunda investida de IAN. Temas como “Spring or Desire”, “Stop Stop Never” e “No Name” revelavam que o violino era o seu maior cúmplice.

 

Chico da Tina, que é como quem diz “Francisco da Concertina”, é uma proposta meta-irónica que consiste num trap subvertido ao linguajar e costumes do universo minhoto. No entanto, para além desta “colagem” estética entre dois universos que à primeira vista poderiam ser opostos, há um atrevimento lírico que se pretende afirmar pelo desafio ao politicamente correcto e aos limites da linguagem, que ultimamente se têm vindo a estreitar.

 

Em 2020, o álbum “Closer” dos Joy Division está a celebrar 40 anos e, para assinalar a data, foi pensado um espetáculo, com músicos nacionais, para ser apresentado originalmente ao vivo no Super Bock Super Rock. Com o adiamento da 26ª edição do Festival para 2021, o concerto onde se ouvirá na íntegra o álbum “Closer” será apresentado em dezembro na Altice Arena, no Rádio SBSR.FM Em Sintonia. O segundo e último disco de estúdio de uma das bandas mais significativas do movimento pós-punk na década de oitenta, foi editado no dia 18 de julho de 1980. Estava pejado de genialidade, desde o início da sua criação, envolta nesse mistério que só a cabeça insana de Ian Curtis conseguia descortinar e entender. Mas era sabido que dali iria sair um objeto de arte maior. Até porque para obter o efeito desejado, as canções seriam todas gravadas debaixo uma abóbada de estuque especialmente construída, com o intuito de simular a ressonância de uma capela. 40 anos depois, para fazer a magia acontecer, estarão em palco alguns dos melhores representantes do pop rock nacional. São eles que irão tocar “Closer” na íntegra, tal como aparece na rodela do vinil, se aceitarmos a convenção que determina Atrocity Exhibition como a primeira canção do disco. Com o adiamento da 26ª edição do Festival para 2021, o concerto onde se ouvirá na íntegra o álbum “Closer” será apresentado em dezembro na Altice Arena, no Rádio SBSR.FM Em Sintonia. O segundo e último disco de estúdio de uma das bandas mais significativas do movimento pós-punk na década de oitenta, foi editado no dia 18 de julho de 1980. Estava pejado de genialidade, desde o início da sua criação, envolta nesse mistério que só a cabeça insana de Ian Curtis conseguia descortinar e entender. Mas era sabido que dali iria sair um objeto de arte maior. Até porque para obter o efeito desejado, as canções seriam todas gravadas debaixo uma abóbada de estuque especialmente construída, com o intuito de simular a ressonância de uma capela. 40 anos depois, para fazer a magia acontecer, estarão em palco alguns dos melhores representantes do pop rock nacional. São eles que irão tocar “Closer” na íntegra, tal como aparece na rodela do vinil, se aceitarmos a convenção que determina Atrocity Exhibition como a primeira canção do disco. São eles Luís San Payo na Bateria (Croix Sainte, Pop Dell Arte, Rádio Macau, Rodrigo Leão Irmãos Catita); Alexandre Cortez no Baixo (Rádio Macau, Wordsong, Lisbon Poetry Orchestra); Flak na Guitarra (Rádio Macau, Micro Audio Waves, entre outros); Felipe Valentim nos Teclados (Rádio Macau, Lisbon Poetry Orchestra, Entre Aspas, Viviane).Todos embalados pelas vozes de João Peste (Pop Dell Arte) e Nancy Knox.

Paulo Bragança começou a sua carreira em 1986 e gravou o primeiro disco em 1992: “Notas sobre a Alma”. Apelidado pela imprensa internacional de “fadista punk”, Paulo Bragança foi uma das caras mais identificativas de uma nova fase da história do fado.

PROGRAMAÇÃO

18 DEZ
Palco Super Bock
Capitão Fausto
Papillon
B Fachada

Palco Santa Casa
Afonso Cabral
Filipe Karlsson
IAN

Palco Ermelinda Freitas
Pedro de Tróia
Jasmim
Acid, Acid

Ciclo de Conferências “A Indústria da Música no contexto atual”

19 DEZ
Palco Super Bock
ProfJam & benji price – SYSTEM live on stage
Conjunto Cuca Monga
GANSO

Palco Santa Casa 
Chico da Tina
“Closer Integral 2020” Joy Division 40 anos depois, por Flak, Alexandre Cortez, Luís San Payo, Filipe Valentim, João Peste e Nancy Knox
Paulo Bragança

Palco Ermelinda Freitas
Amaura
Hause Plants
Ivandro

Ciclo de Conferências “A Indústria da Música no contexto atual”

EGITANA