“Fist”, Segundo Single do Álbum Póstumo de Alan Vega [Suicide]

“Fist”, Segundo Single do Álbum Póstumo de Alan Vega [Suicide]

Redacção

A Sacred Bones anunciou o lançamento de um álbum póstumo de Alan Vega, o vocalista dos Suicide, falecido em 2016. O disco chega a 23 de Abril, chama-se “Mutator” e tem como segundo single o tema “Fist”.

Alan Vega, que morreu a 16 de Julho de 2016, aos 78 anos, foi um cantor e compositor norte-americano, vocalista do influente duo Suicide, formado nos Estados Unidos com Martin Rev, em 1970. A banda, considerada pioneira do movimento punk nos Estados Unidos, têm uma grande base de fãs, assim como Alan Vega, que deixou temas que vão ser agora editados pela Sacred Bones.

Tal como o primeiro single, “Nike Soldier”, este segundo tema tem cinco minutos de pós-punk sombrio, mas divertido, com um groove industrial elegante e elástico, sobre o qual Vega canta com o estilo que sempre o caracterizou.

Infelizmente, Vega não está cá para comentar as intenções específicas desta canção, mas um par dos seus colaboradores mais próximos conseguiu oferecer algum contexto, como foi o caso do seu amigo próximo Jared Artaud, que ajudou a misturar e a produzir “Mutator”, e que falou sobre os muitos humores que Vega foi capaz de captar com esta faixa. «“Fist” revela a estrutura arquetípica sónica do álbum de equilibrar intensidade com calma. É música para meditar ou explodir durante uma marcha de protesto. Vega foi um campeão dos mais desfavorecidos. As suas letras inspiram força para que o indivíduo se levante e destrua aqueles que nos destroem».

A viúva e colaboradora de Vega, Liz Lamere, também comentou o carácter agitador da canção. «O movimento incansável da música, juntamente com o grito de batalha de Vega, faz com que seja um poderoso apelo à acção do povo para reunir o seu poder fazer uma nação. A mensagem é oportuna, o impacto intemporal».

Alan Vega e Liz Lamere gravaram as oito canções de “Mutator” entre 1996 e 1998, em Nova Iorque, mas o projecto ficou fechado na gaveta durante quase duas décadas antes de Lamere e Artaud o desenterrarem em 2019. Vai ver a luz do dia a 23 de Abril. Pré-encomendas aqui.

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.

EGITANA