Fotografias Raras de Beatles e Stones ‘Perdidas’ Num Baú Durante 25 Anos

Fotografias Raras de Beatles e Stones ‘Perdidas’ Num Baú Durante 25 Anos

Redacção
Stan/Betty Mallett

Stan e Betty Mallett, marido e mulher de Exeter, no Sudoeste da Inglaterra, tiravam fotografias sempre que nomes famosos visitavam Devon. A colecção, que inclui imagens dos Beatles, Rolling Stones e Billy Fury, foi encontrada numa caixa que esteve fechada durante um quarto de século.

Stan Mallett e a esposa Betty eram ambos aficcionados do rock and roll nos idos de 1960. E também gostavam de fotografia e publicidade. Por isso, sempre que as bandas mais importantes visitavam a região de Devon, de onde eram naturais, marido e mulher captavam o momento para a posteridade, tratavam de fazer publicidade aos eventos na área de Exeter (em locais como o The Theatre Royal, o Gaumont Exeter ou o Odeon) e, depois, guardavam as provas numa caixa (que era mais um tesouro, na verdade).

Um dos filhos do casal, Frank, 68 anos, que vive agora em Essex, revelou que o seu irmão Steve encontrou agora 500 imagens tiradas entre 1961 e 1964 numa caixa antiga enquanto procuravam documentos para fazer uma árvore genealógica. «Ambos viveram uma vida plena. Partilharam uma paixão pela fotografia e a mãe provavelmente gostava mais da música do que do pai».

Numa história contada pelo Daily Mail, Frank referiu que algumas das estrelas visitaram a sua casa quando era criança, porque os seus pais tinham lá um estúdio – só se não se lembra de que estrelas… «Recentemente, comecei a fazer a nossa árvore genealógica e o meu irmão Steve procurou numa caixa velha do pai que não era aberta há 26 anos para encontrar a sua papelada pessoal e encontrou aí mais de 500 negativos de celebridades tirados entre 1961 e 1964, e algumas fotografias de família».

Os irmãos Mallet têm andado a vasculhar a caixa e a converter os negativos usando uma aplicação. As imagens saíram um pouco desfocadas, mas isso não os impediu de partilhar as fotografias nas redes sociais. «Se quisermos fazer algo com elas no futuro, teremos de investir na digitalização profissional, mas é bastante dispendioso. O nosso objectivo este ano é evitar qualquer perda adicional deste trabalho».

Stan morreu aos 70 anos de idade, em 1995 e, oito anos depois, foi a vez de Betty, com 73. Mas os quatro filhos conseguiram salvar muitas das suas preciosas fotografias. Apesar de outras tantas terem sido confiadas aos cuidados de um historiador apaixonado, mas, infelizmente não se sabe o que lhes aconteceu. «Pensámos que, ao fazê-lo, estariam seguras. Elas foram colocadas no seu carro e nunca mais foram vistas desde então. Agora ele faleceu e ainda esperamos que um dia a sua mulher se possa deparar com elas. Isto significa que a maior parte do trabalho do nosso pai desapareceu».

Entra na galeria para veres as imagens.

EGITANA