Gibson Em Comunicado Pacificador

Gibson Em Comunicado Pacificador

Nero

A Gibson emitiu um comunicado oficial, continuando a revelar preocupação com a protecção daquilo que considera serem os seus direitos, mas num tom bem mais apaziguador com outros constructores.

A Gibson, em resposta a toda a controvérsia que as suas acções geraram nas últimas semanas, principalmente devido à sua postura beligerante em relação a construtores de cópias das suas guitarras, lançou um comunicado onde deixa claro que pretende paz. A postura da Gibson pretende colocar alguma água na fervura que iniciou com o infame vídeo de Mark Agnesi e teve o mais recente capítulo numa derrota jurídica no Tribunal Geral da UE.

No comunicado pode ler-se: «Ainda que a nova direcção procure aumentar o legado, a qualidade e arte a que os guitarristas se afeiçoaram e esperam da Gibson, vão também continuar a gerir e procurar resolver os conflitos do passado. Um desafio claro prende-se com a área da protecção de direitos. Nos últimos oito meses , a equipa lidou com sucesso com mais de 4,500 guitarras falsificadas vindas do estrangeiro, desenhadas claramente para confundir o consumidor e fazê-lo crer estar a comprar uma Gibson autêntica. Semanalmente, a Gibson recebe múltiplas queixas e preocupações de guitarristas induzidos a comprar aquilo que pensavam ser uma Gibson genuína e afinal é uma falsificação».

Em relação ao que realmente levantou polémica, a reinvindicação de patentes e exclusividade de designs, que levou à disputa com a Dean Guitars, o comunicado refere: «Em relação a outra marcas de guitarra e empresas na indústria, a Gibson deu entrada a específicos processos jurídicos ao longo dos últimos anos, com a intenção de proteger os seus direitos originais e evitar confusão do consumidor no mercado».

Então, tendo em conta a negativa reacção pública desta feita, a marca continua, defendendo a actual direcção e isentando-a de responsabilidades: «Toda a atenção recente a alguns processos em andamento está entroncada em vários anos de disputa legal iniciada bem antes da nova direcção ter assumido as suas funções em Novembro de 2018. Com preocupações específicas às dinâmicas legais actuais herdadas que dizem respeito à Dean Guitars, a nova equipa Gibson fez várias tentativas para comunicar com eles directamente e evitar uma prolongada batalha legal. A Gibson tem genuínas intenções de uma resolução constructiva que possa ser benéfica para ambas as partes».

O comunicado parece esquecer o vídeo em que Mark Agnesi surgiu prepotentemente ameaçador, contudo esta última afirmação parece ir num sentido que mais sentido faz. O de resolver as coisas através de algum acordo amistoso, como sugeria Adriano Sérgio que deveria ser feito, em entrevista esclusiva à AS.

A Gibson comenta ainda a actual controvérsia de forma directa, afirmando que esta levou a equipa a reavaliar a sua abordagem determinada na intenção de encontrar mais soluções constructivas para a protecção da marca na indústria. Nas últimas semanas, a Gibson teve um progresso significativo na redução de “ataques” de falsificações e a sua equipa conseguiu criativos acordos de colaboração com constructores fundamentais de guitarras boutique e outros elementos relacionados com a indústria.