Gibson Responde ao Processo da Heritage Guitars

Gibson Responde ao Processo da Heritage Guitars

Nero

A Gibson reagiu ao processo que lhe foi movido pela Heritage Guitars e à acusações de bullying jurídico e industrial. A gigante marca de guitarras defende-se, garantido que procurou uma solução pacífica para aquilo a que se refere como apropriação de tradição.

A Gibson emitiu um comunicado formal em resposta ao processo legal que lhe foi movido pela Heritage Guitars, no US District Court for the Western District of Michigan. O comunicado refere-se também às acusações de bullying jurídico e industrial. A Gibson refere-se a uma campanha negativa da Heritage Guitar Inc., propriedade da mesma empresa que detém os os sites e revistas Guitar.com e Guitar Magazine.

Podem ler o comunicado que chegou às redações em baixo:

«A Gibson está desapontada pela Heritage e os seus proprietários terem sentido a necessidade de mover uma queixa contra a Gibson. A Gibson não irá processar a Heritage Guitar, que é propriedade parcial da BandLab (uma empresa com sede em Singapura que detém a Guitar.com e Guitar Magazine – sendo ainda o actual distribuidor da Gibson Brands no Sudoeste Asiático).

Em 2016, a Heritage Guitars foi adquirida por um grupo de desenvolvimento de propriedades imobiliárias. Em 2017, a BandLab adquiriu a maioria de acções da Heritage Guitars criando uma parceria que consiste num conglomerado sediado em Singapura (dirigido pelo filho de um bilionário) e pelo grupo imobiliário sediado em Chicago. Em 2019, a Heritage iniciou conversações com a Gibson com o intuito de reabilitar o icónico espaço da Gibson para propósitos comercialmente alargados, incluindo planos de converter a fábrica (Parsons Street, Kalamazoo) num hotel. A reunião teve lugar, mas não houve qualquer iniciativa posterior.

Recentemente, a Heritage estreou algumas novas guitarras que, claramente, não respeitam, nem obedecem, ao contrato original. De facto, vários clientes questionaram, se seriam afinal Gibsons autênticas. A Heritage Guitars tomou também a liberdade de utilizar linguagem no seu website enganosa e deturpada, aumentando a confusão.

Como resultado, a Gibson contactou a Heritage para recordar-lhe as condições do contrato original, com a intenção de uma resolução construtiva e com sugestões para sarar a ferida. Para que fique claro, a Gibson não processou a Heritage e tem sido proactiva na procura de uma solução. Contudo, a Gibson não irá aceitar que a Heritage Guitars, propriedade da BandLab, em parceria com agentes imobiliários, possa reescrever a história da Gibson e descaradamente violar um contrato de boa fé.

A Gibson continua com foco no sucesso do seu ressurgir comercial, incluindo os níveis alargado de apoio de distribuidores de guitarras, artistas e parceiros».

O contrato de boa fé a que a Gibson se refere é o mesmo mencionado pela Heritage. Um acordo, previamente confidencial, entre ambas as marcas, estabelecido em Agosto de 1991 e no qual a Gibson concorda com a produção de guitarras da Heritage.