Gibson Procura Impedir Nova Patente da Collings

Gibson Procura Impedir Nova Patente da Collings

Nero

A Gibson está a agir legalmente para impedir um registo de patente da Collings Guitars. A famosa empresa do Michigan não pretende headstocks com um design semelhante aos seus, para evitar a diluição da sua marca.

Ainda mal passou um ano desde que a Gibson abriu uma Caixa de Pandora com o infame vídeo “Play Authentic” de Mark Agnesi, que desencadeou uma série de conflitos legais (o mais recente está relacionado com a patente da Epiphone Coronet), e a gigante marca de guitarras continua a pelejar pelos direitos exclusivos de vários designs.

Ao mesmo tempo que emitia um comunicado a reforçar o seu direito de proteger as suas patentes, a Gibson moveu-se legalmente contra a Collings. A empresa texana deu entrada de uma aplicação para registar a forma do headstock das suas guitarras, acção à qual se opôs a marca fundada em Kalamazoo. Para explicar os motivos das suas oposição, a Gibson cita uma «provável confusão» entre marcas que advirá do design em causa.

A Colligns deu início ao procedimento de patentear o formato das cabeças das suas guitarras em Abril de 2019. O espaço para contestação a esta pretensão foi aberto em Fevereiro de 2020. Foi já em Junho de 2020 que a Gibson se decidiu a fazer oposição a esta patente. A Gibson reforça a sua oposição ao apresentar três patentes suas, todas activas actualmente, nomeadamente, o design Dove Wing, o headstock de 1939 da Epiphone e o de 1963 da mesma marca, referidos como parte de uma «família de distintos designs de headstocks».

A Gibson, detentora da Epiphone, argumenta que estes designs têm sido usados e comercializados, pelo menos, desde 1922. Por isso se tornaram distintos para os consumidores e no mercado de instrumentos musicais. Mais, a empresa gigante afirma ter precedência sobre a Collings, pois o seu «uso e datas de registo pré datam a alegada data de primeiro uso do Aplicante [Collings] ou qualquer outra data que o Aplicante possa apresentar para propósito de prioridade».

O headstock da Collings (esquerda) ao lado do Dove Design e dos dois da Epiphone.

Além da semelhança entre os designs, há um segundo fundamento para a oposição da Gibson: o factor de diluição. Se a Collings conseguir a patente, argumenta a Gibson, «será impraticável discernir entre as semelhanças e isso causará diluição», ofuscando os seus designs mais notáveis.

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.