Gisela João, “Louca” [Streaming]”

Gisela João, “Louca” [Streaming]”

Redacção

“Louca” encerra um silêncio de meia década e antecipa o novo álbum de Gisela João. “AuRora” chega em Abril.

Com a edição de ‘Louca’ termina hoje a espera, de mais de 5 anos, por música nova de Gisela João. O primeiro single de “AuRora” levanta a ponta do véu que envolve o seu novo e terceiro álbum, sucessor de “Nua” (2016) e “Gisela João” (2013), que será editado a 9 de Abril mas já pode ser adquirido, a partir de hoje, numa pré-venda exclusiva Fnac.

“Louca” conta com letra e música de Marco Pombinho e arranjos de Michael League dos Snarky Puppy, que assina a produção de AuRora” em parceria com Nic Hard e a própria Gisela João. Planando sobre as prestações profundamente densas e emocionais da guitarra portuguesa de Bernardo Romão, a guitarra de Nelson Aleixo, o baixo de Francisco Gaspar, o piano e os teclados de Justin Stanton, e os mellotron e moog bass do próprio Michael League, a interpretação de Gisela João eleva a canção a hino de libertação, hipnotizando quem a ouve com a intensidade que coloca em cada palavra, ao cantar uma história de “tudo ou nada” que poderá muito bem ser a sua e em algum momento já terá sido a nossa também.

Filmado em São Paulo, o vídeo funciona como o Canto I de uma trilogia de canções e respectivos vídeos, cuja narrativa os transforma numa curta metragem quando vistos na devida sequência, o que acontecerá até ao lançamento de “AuRora”, com a revelação do segundo e terceiro singles, respectivamente “Já Não Choro Por Ti” e “Canção ao Coração”.

Gravado entre Lisboa e Barcelona, “AuRora” será lançado numa altura de desconfinamento, trazendo consigo a auspiciosa promessa de dias mais luminosos. É também o primeiro disco em que Gisela João apresenta essencialmente canções originais e revela os seus dotes de letrista e compositora.

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.

EGITANA