Guitarrista dos Anthrax sente que só voltará às digressões em 2022

Guitarrista dos Anthrax sente que só voltará às digressões em 2022

Redacção

O guitarrista dos Anthrax Scott Ian abordou os efeitos nefastos da pandemia, quer para o planeta, quer para a a economia e dinâmica da sua banda, admitindo, apesar de estar a tentar manter-se activo, que poderá voltar ao trabalho apenas em 2022.

Scott Ian faz digressões com os Anthrax há mais de 30 anos, tem sempre vários projectos em curso e é um dos grandes embaixadores do heavy metal. Contudo, com a indústria dos concertos paralisada devido à actual pandemia, a lenda do metal mostra alguma preocupação com o futuro e sente que só voltará «ao trabalho em 2022».

Numa entrevista ao podcast Hardcore Humanism, o guitarrista abriu-se sobre como a pandemia está a afectar a sua vida e carreira. Lembrou que um álbum dos Anthrax foi originalmente planeado para lançamento em finais de 2020, mas que tem sido adiado à medida que a banda continua a trabalhar, embora à distância, em novo material. Inclusivamente, o baterista Charlie Benante já afirmou que há «cerca de seis, sete canções – e é realmente bom», mas que «a primeira coisa» que quer ver sair é «uma vacina para a Covid-19».

Scott Ian comparou a sua situação actual com quando tinha 17 anos e tentou descobrir se conseguia fazer uma carreira a tempo inteiro a tocar metal. «Vamos ser os últimos a voltar ao trabalho», disse Ian. «Há uma parte de mim agora que está nesses mesmos sapatos em que eu estava quando tinha 17 anos, porque está a tentar perceber como é que vamos fazer isto? Felizmente para nós, este ano foi uma espécie de ano fora da digressão, porque estamos a escrever um disco, e o plano era tê-lo cá fora no final deste ano. Tudo isso mudou. Esperamos que no próximo Verão. Ninguém sabe. Todos dizem que tudo vai voltar a acontecer em 2021 – talvez. Na minha mente, não vou voltar ao trabalho, provavelmente, até, estou a pensar, 2022. Realisticamente, é quando as coisas talvez comecem a voltar ao normal, para o meu mundo, como músico em digressão».

E embora os Anthrax tenham alcançado um estatuto gigante no mundo do metal, isso não significa que possam suportar financeiramente dois anos de paragem absoluta. Ian explicou que a banda está a sofrer um grande impacto económico, mas também apontou um benefício agradável no facto de estar em isolamento. «Nunca teríamos dito: ‘Vamos tirar dois anos de folga’. Não é algo que alguma vez teríamos feito. Financeiramente, não é algo que pudéssemos dar-nos ao luxo de fazer sequer. Mas mesmo apenas a todos os níveis, essa conversa – ‘Vamos fazer uma pausa’ – isso não vai acontecer. Fomos forçados a entrar nessa situação. Por isso, se há um ponto positivo nisto para mim, é eu poder estar em casa com a minha família por mais tempo do que alguma vez estive. Isso é espantoso. Assim, descobrir formas de trabalhar com tudo o que se passa no planeta e ser capaz de se manter criativo e ocupado e trabalhar e fazer as coisas funcionarem financeiramente, foi como começar de novo, de uma forma estranha, há quatro meses atrás».

Antes da pandemia, Ian conseguiu fazer-se à estrada em Fevereiro juntamente com os Mr. Bungle, que se juntaram para gravar “Raging Wrath of the Easter Bunny Demo”, que deverá sair no dia 30 de Outubro.

EGITANA