Headbanging, perigoso? O heavy metal pode subir-te à cabeça!

Headbanging, perigoso? O heavy metal pode subir-te à cabeça!

Ana Cristina Pereira

Um fã de Motörhead sofreu danos cerebrais depois de uma noite inteira a fazer headbanging num concerto da banda. Existirá um limite para a força do heavy metal ou “esmagar crânios” continua a ser uma expressão hipotética?

Um homem alemão, de 50 anos e headbanger habitual, foi assistido depois de um concerto de Motörhead por uma equipa técnica que lhe descobriu um coágulo no cérebro. Para além de acérrimo headbanger durante anos, não tinha registo médico de qualquer hematoma cerebral.

Depois de duas semanas decorridas após o concerto, o fã queixou-se de fortes dores de cabeça permanentes. A médica que o assistiu, Dr. Islamian, afirma que “o risco de danos é muito, muito, baixo. Mas acho que se (o paciente) tivesse ido a um concerto de música clássica, isto não teria acontecido.“

No entanto, a especialista acrescenta: “O Rock ‘n’ roll nunca vai morrer”.

Foto: Joana Cardoso

EGITANA