“Já Estou Farto!”: Uma Viagem à Cena Punk Através da Vida de João Pedro Almendra [Trailer]

“Já Estou Farto!”: Uma Viagem à Cena Punk Através da Vida de João Pedro Almendra [Trailer]

Redacção

“Já Estou Farto!” é um documentário de Paulo Antunes, com estreia para breve, e que faz um retrato de uma das figuras de proa do punk nacional, João Pedro Almendra. Já há trailer para ver.

Considerado por muitos como um excelente mestre-de-cerimónias e um verdadeiro animal de palco, João Pedro Almendra é o inconfundível vocalista de bandas como os Ku de Judas, Peste & Sida ou PunkSinatra. Esteve também na génese dos Censurados, é letrista e uma das vozes mais influentes do punk rock nacional. Agora, vai ter direito a filme.

Este documentário – com realização de Paulo Antunes, produção de Iolanda Batista e Waves of Youth e produção executiva da Junta de Freguesia de Alvalade – faz um retrato intimista do músico, contado na primeira pessoa, numa viagem espacial e temporal pelo bairro de Alvalade, em Lisboa, que o viu crescer e onde reside. Foi em Alvalade que tudo começou quando com os seus amigos de bairro deu os primeiros passos na música, já lá vão mais de três décadas.

Este é também um mergulho no género underground da música portuguesa, uma narrativa complementada por quem o acompanhou ao longo da sua carreira musical, desde os idos dos anos 1980 até ao presente. Inclui testemunhos de amigos, familiares, músicos e radialistas que ajudam a compreender quem é este músico e a relevância da sua posição no universo da música portuguesa. Entre os participantes estão nomes como Alex Cortez, David Nolasco, Diogo Ribas, João Morais, João San Payo, Jorge Bruto, Luís Varatojo, Nuno Calado, Samuel Palitos ou Suzie Peterson, entre muitos outros.

O documentário será exibido no festival de cinema – IndieLisboa dia 27 de Agosto às 19:00, no Cinema São Jorge e dia 30 às 18:45 na Culturgest.

Aperta o play para veres o trailer de “Já Estou Farto!”

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.
EGITANA