Jimi Hendrix, A História de “Purple Haze”

Jimi Hendrix, A História de “Purple Haze”

Redacção

Nos primeiros dias da Experience e no seguimento do relativo sucesso de “Hey Joe”, ao ler um romance de ficção científica, Jimi Hendrix acabou por ter uma experiência espiritual que deu origem ao tema que fez explodir a sua carreira e inaugurou uma nova era na guitarra eléctrica.

Depois de se ter mudado de armas e bagagens para Londres, Jimi Hendrix recrutou Mitch Mitchell na bateria e Noel Redding, inicialmente guitarrista, agora no baixo. Com a Jimi Hendrix Experience formada, a banda gravou uma versão de ‘Hey Joe’, que entrou nastabelas de vendas. Hendrix iria tocar em vários clubes de Londres, experimentando e encontrando o seu som.

Isto quando bandas de blues como os Rolling Stones andavam ali por perto e a guitarra estava a tornar-se bastante reverenciada e celebrizada devido a músicos impressionantes, como Eric Clapton e Jeff Beck. Mas o momento mágico chegou quando Chas Chandler ouviu os primórdios da ‘Purple Haze’. Chandler, anteriormente baixista dos Animals, decidiu tornar-se produtor e foi quem descobriu Hendrix.

O escritor e biógrafo de Hendrix, John McDermott conta a sua história sobre o dia, em 1966: «Jimi estava a tocar num pequeno clube em Londres e estava nos bastidores a brincar com o riff da ‘Purple Haze’, e Chas, estando lá, ouviu-o imediatamente e disse: ‘Escreve o resto disso. Esse é o próximo single’».

Com fundos suficientes recolhidos a partir do sucesso do ‘Hey Joe’, Chandler estava determinado a levar a Experience a um estúdio melhor, onde trabalhava um jovem e promissor engenheiro de estúdio, nomeadamente, Eddie Kramer. Kramer trabalhava nos Olympic Studios e ele próprio era também muito arrojado. Kramer lembra-se da história: «O gerente do estúdio disse-me um dia: ‘Sabes, Eddie, há um tipoamericano de cabelo grande chamado Jimi Hendrix. Fazes todas essas coisas estranhas, por isso porque não fazes isto?».

As peças estavam todas no lugar para a criação do brilhante clássico que é ‘Purple Haze’. Kramer continua: «Havia uma boa sensação. Ele era muito tímido. Quando entrou no estúdio e ligou-se – oh, meu Deus, foi uma revelação. Nunca tinha ouvido nada assim».

Muitas pessoas associam a canção ao consumo de ácido, mas Hendrix sempre disse o contrário. De facto, a canção foi escrita na altura em que ele tinha estado a ler um romance de ficção científica, “Night of Light”, de Philip José Farmer, e adormeceu. Hendrix sonhou que estava debaixo de água, rodeado por uma impenetrável ‘Purple Haze’. Ele acredita que a bruma púrpura era um despertar espiritual e religioso e que talvez estivesse protegido por Deus. Inicialmente, o refrão da canção era: «Purple Haze, Jesus saves».

A canção saiu em Março de 1967, no dia 17, e foi um enorme sucesso. Hendrix estava lançado.

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.

EGITANA