Quando Jimmy Page Gravou com The Rolling Stones

Quando Jimmy Page Gravou com The Rolling Stones

Nero

Jimmy Page recordou a sua colaboração com os Rolling Stones e as sessões de gravação de “One Hit (To The Body)”, canção editada no álbum “Dirty Work”.

Foi na sua conta no Instagram que Jimmy Page recordou o single “One Hit (To The Body)”, editado no álbum “Dirty Work”, no dia 24 de Março de 1986. O guitarrista dos Led Zeppelin recordou como surgiu a colaboração com The Rolling Stones.

Na publicação, o músico escreveu: «O Ronnie Wood tinha-me contactado uns tempos antes, quando estava hospedado no Plaza Hotel, em Nova Iorque, e convidou-me a aparecer em estúdio para meter umas guitarras numa malha do Keith. Fiquei muito interessado, afinal já havia tocado num tema com o Keith, trabalhando no estúdio do Ronnie, o The Wick, em Richmond, na Inglaterra».

Foi já em estúdio que Page descobriu que «a sessão não era para um álbum do Keith, mas dos Rolling Stones e gravei vários solos por cima do tema. Penso que funcionou bastante bem. O Keith teve a gentileza de me enviar um magnum de champanhe após a sessão».

O tema do álbum de 1986, embora “Dirty Work” tenha sido gravado em três períodos diferentes durante 1985, não foi o primeiro crossover entre Page ou outros músicos dos Led Zeppelin e dos Stones, duas das maiores bandas da história do rock ‘n’ roll.

A primeira vez que o Zoso gravou com Keith Richards, Mike Jagger & Co. foi em 1965. Page trabalhou como guitarrista de sessão no single “Heart Of Stone”. A canção chegou aos top 20 nas tabelas comerciais dos Estados Unidos. Já o baixista John Paul Jones foi o autor dos arranjos de cordas em “She’s A Rainbow”, de 1967.

Quatro anos depois, Ian Stewart (o “sexto” membro dos Stones”) emprestou os seus talentos aos Led Zeppelin, gravando os pianos do clássico “Rock And Roll”, editado no majestoso “Led Zeppelin IV”. Stewart tornaria a gravar com os Zeppelin, em “Boogie With Stu”, do álbum “Physical Graffiti”, de 1975.

Não deixa de ser curioso que, mesmo com tantas colaborações e apesar de admitir o maior respeito por Page, Keith Richards ter admitido nunca ter sido muito apanhado pelos Zeppelin. Em 2016, o velho pirata confessava: «Adoro o Jimmy Page, mas a banda não, com o John Bonham a trovejar estrada fora num semi-reboque fora de controlo. Circunscreveram-se. O Jimmy é um músico brilhante. Mas sempre senti que era tudo um pouco oco».