Justiça Decide: Os Soundgarden Não Devem Royalties a Vicky Cornell

Justiça Decide: Os Soundgarden Não Devem Royalties a Vicky Cornell

Redacção

Segundo a Billboard, um juiz federal do estado de Washington recomendou que o tribunal rejeite duas das seis reclamações apresentadas por Vicky Cornell contra os membros dos Soundgarden, declarando que os músicos não retiveram royalties de Chris Cornell.

A juíza distrital norte-americana Michelle Peterson afirma que não há provas de que os três elementos dos Soundgarden estivessem a reter indevidamente «centenas de milhares de dólares dos royalties de Chris Cornell», ou que o próprio manager da banda tivesse violado o seu dever de zelar pelos melhores interesses do falecido líder da banda. A decisão final sobre o assunto será agora tomada pelo juiz presidente do processo, Robert S. Lasnik.

Chris Cornell foi encontrado morto num quarto em Detroit em Maio de 2017, depois de um concerto dos Soundgarden no Fox Theatre e, em Dezembro de 2019, a viúva Vicky Cornell entrou com uma acção judicial contra os membros sobreviventes da banda (Kim Thayil, Ben Shepherd e Matt Cameron), alegando que o grupo devia a Cornell centenas de milhares de dólares em royalties não pagos e ainda os direitos de sete canções não editadas, gravadas antes da morte do vocalista e guitarrista.

Em resposta ao processo judicial de Vicky, Kim Thayil, Ben Shepherd e Matt Cameron alegaram não ter o seu «próprio trabalho criativo», dizendo que «Vicky Cornell está na posse das únicas gravações multi-pistas existentes das últimas faixas dos Soundgarden», que incluem as partes instrumentais e vocais de Chris Cornell. «Todos os membros da banda trabalharam em conjunto nestas faixas finais, Vicky reivindica agora a propriedade do álbum final dos Soundgarden», dizem os músicos.

Thayil, Shepherd e Cameron acusaram inicialmente Vicky Cornell de utilizar indevidamente fundos angariados através do concerto “I Am The Highway: A Tribute To Chris Cornell”, de Janeiro de 2019. Após ter sido contestado pelos advogados de Cornell com a ameaça de sanções, os outros três membros dos Soundgarden retiraram essa acusação, enquanto os seus advogados escreveram na altura que a banda acredita que «as alegações continuam bem fundamentadas».

Refira-se ainda que, no mês passado, Vicky Cornell processou os três elementos da banda por causa do preço de compra da sua participação na banda. No processo, Vicky Cornell disse que Thayil, Cameron e Shepherd lhe ofereceram apenas 300.000 dólares pela parte de Chris.

Esta quantia, disse a viúva do vocalista, é muito inferior ao valor real dos interesses da propriedade de Chris Cornell nos Soundgarden, especialmente considerando o facto de a banda ter recebido uma oferta de 16 milhões de dólares de um investidor externo para adquirir todos os masters da banda.

A batalha judicial Vicky Cornell/Soundgarden continua em breve…

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.
EGITANA