Kendrick Lamar processado por violação de direitos de autor

Kendrick Lamar processado por violação de direitos de autor

Redacção

Kendrick Lamar foi processado por violação de direitos de autor por um músico chamado Terrance Hayes, por causa do single “Loyalty”, lançado em 2017 e retirado do quarto álbum de Lamar, “Damn”.

A faixa em questão, que inclui a participação de Rihanna, ganhou o Grammy 2018 para Melhor Performance Rap, mas, segundo o pedido apresentado no tribunal federal da Califórnia no dia 21 de Agosto, Terrance Hayes diz ter gravado a sua própria “Loyalty” em 2011, seis anos antes, com o músico e produtor Josef Leimberg.

No documento, que podes ler aqui, Terrance Hayes alega que escreveu a sua faixa chamada “Loyalty” em 2011, gravou-a com Leimberg no estúdio da Ironworx Creative Recordings e registou-a junto do US Copyright Office nesse mesmo ano. E acrescenta que o colaborador de Kendrick Lamar, Terrace Martin, co-escreveu e produziu o hit de 2017, “Loyalty”, e também tinha anteriormente colaborado de perto com Leimberg. Por isso, Terrace Martin e Josef Leimberg foram nomeados co-arguidos juntamente com Lamar.

Hayes diz que todas as suas sessões de gravação foram armazenadas no computador de Leimberg e que Martin teve acesso ao seu trabalho através da sua relação com Leimberg. Hayes alega então que os arguidos «copiaram toda a composição, incluindo título, melodia, harmonia e ritmo» da faixa que ele diz ter escrito em 2011 e que eles apenas a «abrandaram através de um sintetizador e combinaram-na com outra amostra para disfarçar a cópia», acrescentando que «a melodia da canção [de Lamar] é idêntica à faixa original, com algumas pequenas variações, o que pode ser visto justapondo as duas melodias».

Terrance Hayes exige agora um julgamento pelo júri e um dos resultados que procura é «obter todos os lucros [gerados pelo tema]», além de «qualquer outra vantagem monetária obtida pelos arguidos através da sua infracção, a soma exacta a ser provada no momento do julgamento».

Este caso é o mais recente de uma série de processos de direitos de autor de alto nível instaurados contra artistas nos últimos anos. No início deste mês, um processo por violação de direitos de autor instaurado contra Lizzo aka Melissa Jefferson por três compositores – Justin, Jeremiah Raisen e Justin ‘Yves’ Rothman – foi arquivado por um juiz na Califórnia. Em Junho, Travis Scott foi acusado de violação de direitos de autor numa acção judicial intentada pelo advogado da Blurred Lines, Richard Busch, por causa do seu single “Highest In The Room”. Em Julho, a banda pop-punk Yellowcard desistiu da sua acção judicial de 15 milhões de dólares contra Juice Wrld por causa do single de sucesso da artista, “Lucid Dreams”.

Entretanto, em Março, um tribunal federal na Califórnia anulou o veredicto no processo por infracção de direitos de autor de Dark Horse contra Katy Perry. A vitória de Perry seguiu-se à vitória dos Led Zeppelin na sua longa batalha pelos direitos de autor sobre a sua clássica canção “Stairway to Heaven”, processo que, pelos vistos, pode ainda não estar definitivamente concluído.

A AS pesquisou nas profundezas da internet, mas não conseguiu encontrar o tema alegadamente gravado por Terrance Hayes, o que teria sido importante para os leitores poderem comparar os dois temas e tirarem as suas próprias conclusões. Sendo assim, deixamos aqui a canção “Loyalty”, gravada por Kendrick Lamar e que está no centro deste processo legal.

 

EGITANA