Lendário Cavern Club em risco de fechar portas para sempre

Lendário Cavern Club em risco de fechar portas para sempre

Nuno Sarafa
The Telegraph

A mítica sala onde os Beatles fizeram história atravessa período negro devido à pandemia e poderá ter de fechar.

O Cavern Club, em Liverpool, onde os Beatles fizeram mais de 300 concertos no início da carreira, pode fechar definitivamente em breve caso não surja uma solução, já que, à semelhança do que acontece com milhares de salas de espectáculos um pouco por todo o mundo, continua de portas encerradas devido à pandemia.

O presidente da câmara daquela cidade inglesa, Joe Anderson, já abordou o assunto: «O facto de a sala poder ter de fechar para sempre por causa da Covid-19 deve mostrar ao governo o quanto a nossa indústria musical está em perigo. Este vírus causou dor e tristeza inimagináveis, mas está a provar ser uma ameaça existencial à nossa cena cultural».

© Arte Sonora | Liverpool 2020

Ainda segundo o político, a perspectiva de perder uma jóia nacional como o Cavern Club «é um cenário horrível para todos os envolvidos, sejam eles fãs dos Beatles, amantes da música ou, acima de tudo, aqueles cujo sustento depende disso».

Bill Heckle, um dos actuais sócios do local, afirmou que o clube tem tido prejuízos semanais na ordem dos quase 35 mil euros desde o início da pandemia, lembrando que já teve que «demitir 20 funcionários recentemente» e que poderá ter de vir a dispensar “mais membros da equipa nas próximas semanas“.

A sala, que costumava receber cerca de 800 mil visitantes por ano, irá reabrir este mês para transmitir apresentações à distância de bandas a partir de diferentes pontos do globo. «Nós sabemos que não vamos ganhar dinheiro», frisa Heckle.

O Cavern Club foi inaugurado em Janeiro de 1957 e começou por operar principalmente como um clube de jazz. Ao longo dos anos, o espaço acolheu nomes como os Rolling Stones, Stevie Wonder ou David Bowie, mas será sempre aos Fab Four que a sua história regressará. Foi no Cavern que Brian Epstein os apanhou ao vivo pela primeira vez, oferecendo-se de imediato para gerir a carreira da banda. O resto… é história.

© Arte Sonora | Liverpool 2020