Luaty Beirão condena Gabriel o Pensador por actuar em Luanda

Luaty Beirão condena Gabriel o Pensador por actuar em Luanda

Tiago da Bernarda

Lê a mensagem que o activista e rapper publicou no Facebook.

Gabriel o Pensador tem sido alvo de críticas por ter actuado, no sábado passado, em Luanda. Foram vários os activistas que se dirigiram ao rapper e apelaram que cancelasse o concerto, mas sem efeito.

«Prefiro entrar nestes temas, ligados de certa forma à política, através das músicas, de algumas músicas, de vez em quando, quando isto vem naturalmente no meu coração, e não o faço por obrigação ou para posar como revolucionário. Sou apenas um rapper. Minhas atividades sociais faço por fora, por minha conta, há anos, e também só porque tenho vontade», respondeu Gabriel o Pensador no Facebook.

Face à sua decisão, o activista e rapper Luaty Beirão decidiu criticar o músico brasileiro com um vídeo em que faz playback da faixa “Tô Feliz (Matei O Presidente)”, juntamente com uma mensagem escrita a condenar a sua postura.

Vê em baixo a mensagem de Luaty Beirão:

«Quis fazer este vídeo em homenagem a um artista que me inspirou a dar os meus primeiros passos no rap. Eu conhecia este disco de trás para frente. Hoje ele toca em Luanda pela quinta vez e diz amar Angola de tal modo que a tatuou no braço. Que bonito.

Há uns dias foi abordado por um coletivo de cidadãos que lhe pedia queboicotasse o show como sinal de solidariedade aos presos de consciência que existem em Angola. Era um pedido um tanto ou quanto exigente e, sobretudo, que pecava por ser tardio. Ele respondeu. Não tinha de o fazer, mas fê-lo e com muita delicadeza, sobretudo aos que o atacaram mais ferozmente.

No entanto, a forma como justificou o que não tinha de justificar foi um pouco decepcionante. Diz não conhecer os detidos o suficiente para tomar partido e isso até é compreensível.

Mais difícil de compreender no entanto é como depois de 8 meses de uma situação de gritante violação dos direitos humanos dos quais é acérrimo defensor, envolvendo cidadãos de um país que diz amar (alguns dos quais “parceiros” de rimas), amplamente denunciado por instituições como a Amnistia Internacional (credível o suficiente mano Gaby?), por artistas de quem é amigo como o Boss AC e o Sérgio Godinho, e até por parlamentares do seu país, não mereça pelo menos um pouco mais de curiosidade da sua parte.

Que tenhas um bom show e que possas divertir e distrair aqueles que podem pagar para te ir ouvir. Que ao pronunciares naquele palco hoje as palavras de consciência e de amor ao próximo com as quais nos habituaste e pelas quais ficaste conhecido, elas não te soem a ti próprio um pouco mais vazias, um pouco mais sintéticas, um pouco mais estéreis, um pouco mais desadequadas e descontextualizadas do que é costume.

Grande abraço»

Vê o vídeo aqui.

EGITANA