Luta Livre de Luís Varatojo Lança “Técnicas De Combate” [Streaming]

Luta Livre de Luís Varatojo Lança “Técnicas De Combate” [Streaming]

Redacção

Luís Varatojo editou finalmente o álbum de estreia “Técnicas De Combate”, do seu novo projecto Luta Livre.

Luís Varatojo, músico ligado a projectos como Peste & Sida, Despe & Siga, Linha da Frente, A Naifa ou Fandango criou em 2020 o seu novo projecto Luta Livre, que resulta de «um olhar interventivo sobre a sociedade e a actualidade». Ao longo dos 12 meses anteriores, Varatojo partilhou seis dos 10 temas do disco. Agora, chega a obra completa, uma edição de autor nos formatos CD (10€) e LP/Vinil (20€), que estarão disponíveis no Bandcamp do artista, nas lojas independentes (não estará disponível nas Fnacs) e em todas as plataformas digitais, e que poderás ouvir através do player no final do artigo.

Com letras, músicas e produção de Luís Varatojo, o disco foi gravado e misturado entre Janeiro de 2019 e Outubro de 2020 e masterizado por Rui Dias. Conta com a participação de vários convidados como o Coro Gospel Collective, Ricardo Toscano, Kika Santos, Edgar Caramelo, João Pedro Almendra, Nélson Cabral, Ivo Palitos, Diogo Santos, Pedro Mourato e o Coro Os Amigos do Vicente. A ilustração da capa é da autoria de João Pombeiro, o artwork é de Luís Carlos Amaro e as letras são desenhadas por Cristina Viana.

“Técnicas de Combate” inclui 10 temas e, ao longo de 2020, foram reveladas seis músicas: “Política”, “Ninguém Quer Saber”, “Iniquidade”, “O Problema é o Sistema”, “Sushi Era No Japão” e “Escravo do Patrão” já se ouvem em rádios de norte a sul do país.

Depois da celebrada estreia ao vivo na Festa do Avante, o concerto de lançamento do primeiro álbum de Luta Livre será no Teatro Maria Matos em Lisboa, no dia 23 de Março, às 20h00, integrado no Ciclo “Produtores Associados no Maria Matos”. Em palco com Luís Varatojo estarão oito músicos. Os bilhetes custam 15€ e estão à venda na bilheteira do Teatro Maria Matos e em www.ticketline.pt.

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.

EGITANA