Man On Man de Roddy Bottum Vai Editar Álbum

Man On Man de Roddy Bottum Vai Editar Álbum

Redacção

Man On Man, projecto criado por Roddy Bottum, teclista dos Faith No More, e pelo seu parceiro Joey Holman, vai editar o álbum de estreia. Capa, alinhamento e data de edição já foram revelados.

Ainda em 2020, com a digressão da reunião dos Faith No More, que iria passar em Portugal, em suspenso, Roddy Bottum atirou-se a um novo projecto, em colaboração com o seu namorado Joey Holman. A banda chama-se Man On Man e o primeiro single estreou com o título “Daddy”. Entretanto, foi anunciado um álbum de estreia, de título homónimo, que irá chegar dia 07 de Maio de 2021, via Big Scary Monsters.

No Instagram oficial, o projecto é descrito como «amantes gay a fazer música gay». Nos tempos mais recentes, o teclista dos Faith No More já havia deixado pistas sobre este novo projecto, desenvolvido no período de isolamento social que Bottum e Joey têm enfrentado em Oxnard, na Califórnia. Bottum foi um dos primeiros rockers (de maior projecção mediática) a assumir a suas homossexualidade, numa entrevista de 1993.

Mais recentemente, reflectindo sobre esse seu acto de liberdade pessoal e sobre o impacto que terá tido na consciencialização sobre a homossexualidade, Bottum confessou à Tidal: «Para mim, era absurdo que as pessoas tivessem algum problema com isso, mas foi um período difícil. Estava numa banda que estava a entrar na esfera dos Metallica ou dos Guns N’ Roses. Cheios de vibes hetero e vibes cheios de clichés e excessos de dinossauros musicais».

O álbum foi produzido por Roddy e por Holam, assistido e misturado por Carlos de la Garza (M83, Paramore, Jimmy Eat World, etc.) e Mike Vernon Davis (Foxis, Great Grandpa).

01. Stohner; 02. Daddy; 03. It’s So Fun (To Be Gay); 04. Beach House; 05. 1983; 06. Baby, You’re My Everything; 07. Two At A Time; 08. Lover; 09. Please Be Friends; 10. Kamikaze; 11. It Floated

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.

EGITANA