Manel Cruz Recusa Actuar na Casa da Música sob Direcção Actual

Manel Cruz Recusa Actuar na Casa da Música sob Direcção Actual

Nero

Na ressaca das atitudes de repressão da direcção da Casa da Música aos protestos ordeiros dos seus vários trabalhadores precários, Manel Cruz, dos Ornatos Violeta, ataca os dirigentes actuais e renuncia a actuar no espaço cultural enquanto não houver mudança.

Na segunda-feira, dia 01 de Junho de 2020, vários trabalhadores precários da Casa da Música, juntaram-se na entrada desse espaço em vigília de protesto contra a forma como a fundação está a tratar os seus colaboradores no actual cenário pandémico. Poucos dias depois, esses trabalhadores acusaram os responsáveis da instituição de «represálias», após a sua participação nesse acto de protesto perfeitamente ordeiro.

A situação indignou muita gente, mas poucos músicos assumiram uma postura de intransigência. Algo que Manel Cruz fez ao publicar a sua renúncia em tornar a tocar na Casa da Música enquanto a direcção e políticas actuais se mantiverem.

O frontman dos Ornatos Violeta partilhou uma imagem nas suas redes sociais, onde se lê: «NUNCA MAIS TOCO NESTA CASA DA MÚSICA. Não sei em que outra casa poderei tocar… Mas sei de muita gente a quem confiaria a solução. Gente que vê na música uma forma de tornar os nossos filhos mais libertos e autónomos. Gente que vê a música como outra coisa qualquer, que requer verdadeiro compromisso, amor e dedicação. Esses quero nas direcções. verdadeiros gestores, desses que apontam a longo prazo, e fazem o povo aprender, e não, ser ensinado. E que acima de tudo valorizam quem faz as coisas acontecer. E não um cubo torto, a quem nasceu a forma antes do conteúdo. Cultura, dizem…»

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.