Metallica e co-gerente investem em propriedade intelectual

Metallica e co-gerente investem em propriedade intelectual

Bernardo Pereira

Os Metallica e o seu co-gerente juntaram-se para adquirir catálogo de músicas de compra de propriedades intelectuais e empreendimentos multimilionários. O investimento será feito no Worldwired Music IP Fund e terá entre 300 a 500 milhões de dólares.

Cliff Burnstein, co-gerente dos Metallica e a própria banda estão envolvidos num empreendimento de aquisição de propriedade intelectual, liderado por Paul Donahue, CEO da empresa Genuine Parts Co. e ex-banqueiro de investimentos da Morgan Stanley, uma empresa global de serviços financeiros sediada em Nova York. Dohanue esteve na Morgan Stanley por 32 anos e foi chefe do mercado de capitais nas Américas de 2006, onde foi um dos principais banqueiros de Wall Street. Continua a ser um consultor especial da empresa e tem ainda uma participação accionária na Fender Guitars.

A sua relação com os Metallica data desde meados dos anos 90, através da boa relação que tem com os executivos da banda. Donahue foi ainda membro do conselho da organização de caridade da indústria da música, a T.J Fundação Martell e é membro do conselho consultivo da fundação de caridade All Within My Hands. Sabe-se ainda que o empreendimento não está a ser liderado por Burnstein ou pelos Metallica, embora Worldwired seja o nome da tour mais recente da banda e haja um envolvimento de ambas as partes, que inclui o envolvimento do ex-co presidente da Sony Rick Krim e do ex-presidente da Fender, Matthew Janopau.

O empreendimento inclui catálogos de músicas como integrantes do portfólio, músicas essas que deve limitar e incluir catálogos de rock clássico. Por agora não há grandes informações nas restantes partes envolvidas nem nos outros tipos de ativos de propriedade intelectual em que consiste este empreendimento mas sabe-se que o empreendimento não foi inspirado/copiado pela Hipgnosis Songs. A Hipgnosis Songs é uma startup co-fundada pelo ex-gerente de Beyoncé, Iron Maiden, Elton John e Merck Mercuriades, que já gastou mais de 1 bilião de dólares na compra de catálogo de produtores e compositores de sucesso em apenas dois anos, aumentando o valor de catálogo de músicas. Entre os catálogos comprados surgem os de Dave Stewart, Timbaland, The-Dream, Chainsmokers, Eurythmics e dezenas de outros.

Esta procura pela propriedade intelectual surge com ainda maior força após a pandemia. O cancelamento de tours e o mecanismo financeiro da indústria da música completamente abalado fez com que a publicação de músicas e outras formas de propriedade intelectual fossem cada vez mais procuradas, por serem uma área lucrativa de negócios.
A banda continua a fazer sucesso em pleno 2020, são vistos como uma das bandas mais influentes e importantes dos últimos 40 anos, e de acordo com a Pollstar, no momento da apresentação mais recente dos Metallica em Setembro, o grupo vendeu 22,1 milhões de bilhetes no total, e arrecadou cerca de 1,4 biliões de dólares desde os primórdios da banda, em 1982, colocando-os com U2, Ed Sheeran, Rolling Stones e Taylor Swift como os “gigantes do lucro”