Motörhead: Desenterrada Gravação de Soundcheck com 40 Anos

Motörhead: Desenterrada Gravação de Soundcheck com 40 Anos

Redacção

Enquanto era preparada a reedição do álbum ao vivo “No Sleep ‘Til Hammersmith”, discaço dos Motörhead, prevista para 25 de Junho, foi encontrada uma versão inédita do tema “Stay Clean”, gravada durante um soundcheck. Uma fita com 40 anos. E podes ouvi-la aqui.

Na gravação agora revelada, fica uma vez mais provado – se é que fosse necessário – o empenho que Lemmy e companhia colocavam no seu ofício, uma vez que dão tudo, até mesmo no soundcheck.

Poucos documentos existem dos ensaios de som dos Motörhead, uma parte vital do trabalho diário de qualquer banda em digressão. Felizmente, a banda levou uma unidade móvel de gravação para a sua “Short Sharp Pain in the Neck Tour”, em Março de 1981. A gravação de “Stay Clean” é referente ao aquecimento para o espectáculo de 30 de Março, em Newcastle.

A edição de aniversário expandida de “No Sleep ‘Til Hammersmith” é uma celebração do line up clássico dos Motörhead na altura constituído por Lemmy Kilmister, Fast Eddie Clark e Philthy Animal Taylor, chega a 25 de Junho e apresenta áudio remasterizado das fitas analógicas originais, faixas bónus, gravações de soundcheck nunca antes ouvidas e uma gravação de concerto completa, anteriormente inédita, no Newcastle City Hall a 30 de Março de 1981. Na caixa de 4 CD, os três concertos completos a partir dos quais o álbum foi lançado foram restaurados e serão agora editados na sua totalidade pela primeira vez.

Os conjuntos de vinil e CD também incluem um livro com entrevistas inéditas com a road crew dos Motörhead, juntamente com fotografias e memorabilia raras. Entre os outros artigos estão um cartaz de concerto de dupla face de 1981, reprodução do passe da digressão dos EUA de 1981, uma palheta Motörhead “England”, um pin da digressão europeia de 1981, a reprodução do bilhete no Newcastle City Hall e ainda um cartaz do concerto de Port Vale.

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.
EGITANA