Munin.Live Entra em Portugal com Série de Concertos da Mobydick Records

Munin.Live Entra em Portugal com Série de Concertos da Mobydick Records

Redacção

A Mobydick Records está a co-produzir com a plataforma de streaming norueguesa Munin.Live um mini festival com cinco artistas portugueses que decorrerá no mês de Abril. A estreia tem lugar já no dia 13 de Março com os Budda Power Blues, num concerto em que vão transformar o seu catálogo como se estivessem em 1955.

O festival ou ciclo de concertos chama-se “Live At Mobydick Records”. O streaming piloto vai acontecer em directo e vai inaugurar a entrada de Portugal na plataforma. Os Budda Power Blues já haviam inserido um concerto seu na Munin.Live, mas tratou-se de um concerto gravado previamente.

Portanto, dia 13 de Março assistiremos oficialmente à inauguração dos concertos ao vivo em Portugal na Munin.Live. Depois, o ciclo “Live At Mobydick Records” arranca dia 03 de Abril, com Gaspar Varela e prossegue dia 10 de Abril com Luísa Sobral, 17 de Abril com Miramar e 24 de Abril com Manel Cruz.

Para o concerto piloto, os Budda Power Blues prepararam algo bastante especial. A banda irá interpretar as suas canções como de estivesse no ano 1955, antes dos pedais de guitarra e baixo, antes dos sons de baterias enormes, antes da British Invasion influenciar o blues e a música pop. Budda Guedes, Nico Guedes e Carl Minnemann viajam no tempo para as raízes do blues eléctrico. O concerto Começa às 21h e podem comprar o vosso bilhete AQUI.

A Munin.Live é uma plataforma internacional de Streaming de Concertos em Vídeo e Áudio de alta qualidade, criada por músicos pouco antes da pandemia. Esta Startup Norueguesa surgiu para permitir que qualquer pessoa pudesse ver artistas dos 4 cantos do planeta, sem investir em viagens, estadias e tempo, podendo ver artistas que normalmente não tocariam na Noruega.

Com isto em mente a plataforma cresceu e expandiu-se para vários países e chega agora ao nosso país. Podem descobrir mais sobre a Munin.Live no artigo exclusivo em que apresentámos a plataforma.

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.
EGITANA