Viriatada de Janeiro

Viriatada de Janeiro

Redacção

Em 2020 apresentamos um novo artigo mensal no artesonora.pt, exclusivamente dedicado à nova música portuguesa.

A Arte Sonora tem uma nova secção mensal dedicada. Todos os meses vamos reunir as músicas e os álbuns mais recentes compostos por músicos portugueses. O programa musical em Portugal está vivo e de boa saúde, cabe-nos a todos apoiar o que se faz por cá. Em Janeiro, entre várias propostas, podes ouvir os novos singles de Capicua, Norton, Iguana Garcia, Três Tristes Tigres, Cristina Branco ou Irma, a colaboração que junta Ana Moura, Branko e Conan Osíris. Nos novos álbuns há as novidades de The Artist Is Irrelevant, Filipe Sambado ou Spicy Noodles.

GRAND SUN – “VEERA”// “Veera” é o nome duma rapariga decidida a ser enigmática, mas também do segundo single de “Sal Y Amore”, o primeiro disco dos Grand Sun. Enquanto nos falam de Veera, os Sun viajam pelo psicadelismo dos anos 90. Dos Brian Jonestown Massacre aos Real Estate passando por toda a Britpop, vestem uma pele excêntrica e sem preocupações. Veera transforma a existência do nosso narrador num mundo de insignificância moldado pelos seus caprichos. E é esta fatalidade que Grand Sun quer cantar ao mundo. A canção foi gravada pelo André Isidro nos estúdios Duck Tape Melodies e masterizada pelo João Alves no Sweet Mastering Studio.

HELLVIS – “PINK PUSSYCATS FROM HELL”// O novo single Hellvis dos Pink Pussycats From Hell já está disponível em todas as plataformas de streaming. Após Helleluia, este é o segundo avanço do novo álbum da banda, a ser lançado brevemente pela editora Raging Planet Records. 

JORGE COELHO – “LAY CLAIM TO THE WORLD AS A SPHERE OF YOUR OWN”//Está disponível online o novo disco de Jorge Coelho. Editado com selo Lovers & Lollypops,  o registo será apresentado, ao vivo, a 6 de Fevereiro no Plantetário do Porto. Entre os dedilhados e retalhos de mundo de Jorge Coelho, medidos e pesados e com um cunho muito claro das suas melodias harmoniosas mas desconcertantes, surgem vozes de Paulo Miranda e João Pedro Almeida, textos e interpretações de Joana Domingues e Francisco Silva, gongs de João Pais Filipe, piano de Hugo Raro, e metalofone de Gustavo Costa, colaboradores e parceiros de longa data, cuja transição do nosso plano para o de “Lay claim…” opera a ilusão de partilharmos todos o mesmo espaço; não menos importante, são todos os elementos que, pela sua natureza impetuosa, torna cada melodia e frase humanas, fragilmente próximas de cada um de nós, mas apenas possíveis a Jorge Coelho.

IVY – “8H17AM”// É o terceiro single de “Over and Out”, disco que marcou a estreia a solo de Rita Sampaio (GrandFather’s House) como IVY. Para o lançamento do videoclipe deste novo tema, a artista juntou-se à APAV – Associação Portuguesa de Apoio à Vítima para a sensibilização contra a violência. Em “8h17am”, a voz de Rita Sampaio junta-se à de Rui Gaspar (First Breath After Coma) num dueto despido de grandes produções, acompanhado apenas pelo piano.

NORTON – “PASSENGERS”// Depois de em Outubro terem apresentado “Changes”, os Norton mostram mais uma peça do novo disco, “Heavy Light”, com edição marcada para o dia 27 de Março. Ao quinto álbum de originais, a banda de Castelo Branco decidiu abrandar e olhar em volta com mais atenção, sem nunca perder a identidade, naquele que é o seu registo mais honesto e ecléctico. O disco já está disponível para pré-compra no site oficial da banda, nos formatos vinil, CD, cassete e digital.

BALI – “TEMPO A MAIS”// Os Bali são um banda lisboeta formada em 2018, misturam sonoridades leves e positivas com letras mais introspectivas, cantadas na língua de Camões. Filipe Carapeto, Tiago Vale, Patrícia Gonzalez e Paulo Moreira, juntamente com o produtor Daniel Cardoso, criam a banda sonora para quem sabe que no fundo a vida é para ser aproveitada e mostram-nos que viajar não é uma finalidade mas sim um estado de espírito. “Tempo A Mais” será editado a 24 de Janeiro.

CRISTINA BRANCO – “DELICADEZA”// “Delicadeza” é o primeiro single de avanço do novo trabalho de Cristina Branco, “Eva”, com edição prevista para Março de 2020. Escrito por Francisca Cortesão, Cristina Branco assina a produção musical em conjunto com os seus músicos: Bernardo Couto (guitarra portuguesa), Bernardo Moreira (contrabaixo) e Luís Figueiredo (piano). O vídeo conta com a realização de Joana Linda, nas minas de Sal-Gema de Loulé, durante a residência artística que Cristina Branco realizou no passado mês de Dezembro de 2019.

BUDDA POWER BLUES – “TAKE MY SOUL-LIVE”// Extraído do concerto de 2019 no Theatro Circo, já podes ouvir o primeiro single do disco ao vivo de Budda Power Blues que será editado em Março deste ano. Trata-se do primeiro disco ao vivo do trio que recolhe uma música de 15 concertos especiais realizados ao longo do ano de 2019. 15 concertos, 15 músicas a celebrar 15 anos de Budda Power Blues. “Take My Soul ao vivo” está disponível em streaming nas principais plataformas de música digital.

JORGE QUEIJO – “ADUFES & PANDEIROS”// Este é o primeiro de uma série de dez discos que o músico portuense apresentará este ano. Conduzido pela sua vivência na infância, Jorge Queijo imprime nos temas do disco memórias de viagens e caminhos, sem limites na descoberta de novos espaços e possibilidades sonoras dos instrumentos usados. O registo volta assim a encapsular o estilo que o baterista tem vindo a criar, que questiona e explora a improvisação entre o rock, o minimalismo repetitivo e os drones complexos. O músico pretende que as dez edições, embora não interligadas, desenhem um panorama sobre aquele que tem sido o trabalho que realiza, enquanto músico e compositor, desde 2009. O disco será apresentado ao vivo, no próximo dia 26 de Janeiro, em mais uma edição do ciclo Solilóquios, a ter lugar na Rua das Carmelitas 100, no Porto. Os bilhetes para o concerto custam 10€. 

JIMMY P – “ABENSONHADO”// “Abensonhado” é o quarto e novo disco de Jimmy P, que será editado a 31 de Janeiro. Será apresentado ao vivo pela primeira vez no Coliseu Porto Ageas no concerto de celebração dos seus 10 anos de carreira, agendado para o dia 22 de Fevereiro. “Abensonhado”, a palavra, surge no vocabulário de Mia Couto, um dos autores mais influentes na vida de Jimmy P, com a publicação em 1994 de “Estórias Abensonhadas“. Segundo o músico, que pediu diretamente ao escritor a autorização para utilizar a palavra, “Abensonhado” não poderia ser intitulado de outra forma, este que é «um álbum cheio de luz e uma jornada de mais de um ano e meio de trabalho». Composto por 16 canções (incluíndo os singles “Ano Novo“, “Contigo“, “Vais Alinhar” e “Até Voltares“), conta com a participação de vários artistas, tais como: Carolina Deslandes, Deejay Telio, Djodje, Fernando Daniel, Filipe Ret, Gson e Nelson Freitas.

FILIPE SAMBADO – “REVEZO”// No terreno fértil que ficou da excelente safra de “Filipe Sambado & Os Acompanhantes de Luxo” (2018), semeiam-se flautas e electrónica, percussões telúricas e espessas, teclados plásticos que ondulam ao sabor do psicadelismo pop, delirante ou onírico, castanholas esvoaçantes e um equilíbrio dinâmico de luz e penumbra. O disco chega ao streaming e às lojas em CD no dia 24 de Janeiro. Nesse mesmo dia, a FNAC Chiado recebe um showcase de entrada livre, em que Filipe Sambado apresentará alguns dos novos temas. “Jóia da Rotina” é o primeiro single de apresentação de “Revezo”.

TRÊS TRISTES TIGRES – “À TONA”// Já podes ouvir o novo single dos Três Tristes Tigres e é mais um avanço para “Mínima Luz”, a ser editado digitalmente no final do mês de Março e em vinil, na primeira quinzena do mês seguinte. O longa duração já tem a primeira data de apresentação, dia 17 de Abril no Auditório de Espinho. “À Tona reintepreta o poema “Life is fine” de Langston Hughes, poeta, activista, norte-americano, numa versão traduzida por Regina Guimarães. Tal como “Galanteio“, a linguagem deste novo tema procura um espaço próprio, na voz, nas letras e na intervenção disruptiva do solo de guitarra.

CAPICUA – “PASSIFLORA” //  Capicua presenteia-nos, neste início de ano, com o novo single “Passiflora” que conta com a participação de Camané. Com música e produção do parceiro de longa data Stereossauro, este tema aborda a relação da artista com a indústria musical e os seus desconfortos. «É um tema emocional, rimado em crescendo como quem canta o fado, que culmina com o refrão do Camané (perfeito), que mantive intacto no fim» afirmou Capicua em comunicado de imprensa. Ouve, aqui na íntegra, “Madrepérola”.

THE ARTIST IS IRRELEVANT  – “AN EMPTY CANVAS”// The Artist is Irrelevant é um novo projecto musical que desenvolve esta teoria que «quando ouvimos uma música que nos tenha acompanhado numa fase importante da vida, somos imediatamente transportados para esse momento no tempo. Nesse sentido, o artista é irrelevante bem como qualquer explicação acerca da sua criação». O álbum de estreia, “The Artist is irrelevant”, é composto por 8 temas que foram produzidos, misturados e masterizados por Noiserv no seu novo estúdio, “A Loja”, e será oficialmente lançado no dia 24 de Janeiro.

IGUANA GARCIA – “HORAS VAGAS”// Iguana Garcia regressa em 2020 com “Vagas”, um novo disco repleto de pop sentimental que encaixa no embalo de uma nova década. Quando aterrou em 2017 com “Cabaret Aleatório”, Iguana Garcia (moniker de João Garcia) montou um laboratório pop experimental, entre o new age dos 80s e o rock psicadélico. Música nómada, para viajar e dançar, em formato one-man-band. Em “Vagas” persiste a visão de um-só-homem que se deixou dominar pelas fantasias pop que estavam sugeridas no primeiro álbum.

IRMA – “MONAMI”// Irma está de volta com novo single “Monami”, com letra da sua autoria e música composta pela artista, em colaboração com Pity e Francisco Sales. Trata-se do seu segundo single e sucede a “Da Mesma Pele”. “Monami” inspira-se no dialecto angolano Kimbundu, que desde cedo Irma ouviu a sua avó falar, e em português significa ‘Meu filho’. ‘Monami Muxima Uamié’ é ‘Meu filho do meu coração’ e lembra-nos que as crianças têm o futuro do mundo nas suas mãos. Sobre “Monami”, Irma acrescenta ainda que: «Se tratarmos todas as crianças como tratamos os nossos filhos o mundo crescerá muito melhor. Se chamarmos ‘meu filho do meu coração’ a qualquer criança, o mundo vai crescer com valores».

ANÍBAL ZOLA – “VALSA DE TRÊS NOTAS SÓ”// “Valsa de Três Notas Só” é um tema escrito há três anos que tem como inspiração o “Samba de Uma Nota Só” de António Carlos Jobim e Newton Mendonça. Foi uma canção escrita muito rapidamente e que, desde aí, Aníbal Zola teve sempre muito medo de lhe mexer por achar que estava perfeita assim, simples. Por sentir que é a música mais “redondinha” de “amortempo” que será editado em Fevereiro, o artista sentiu que era a escolha óbvia para primeiro single do álbum. O vídeo, realizado por Mimi Sá Coutinho. De salientar o pequeno brinquedo utilizado para simular os sopros, da Fábrica de Brinquedos Pepe, comprado na Feira do Capão em Freamunde. Segundo o vendedor, nem os chineses conseguem imitar esta relíquia!

ANA MOURA, CONAN OSIRIS, BRANKO – “VINTE VINTE”// Tudo começou com um desafio colocado pelo estilista Luís Carvalho à fadista Ana Moura. O objetivo era criar um tema para encerrar o desfile da edição de 2019 do Moda Lisboa, o que a levou a convidar Branko e Conan Osiris a fecharem-se no estúdio para criar esta ode ao novo ano. “Vinte Vinte” celebra os ritmos da música tradicional portuguesa, revisitando os padrões rítmicos da chula que são actualizados e trazidos para 2020, através da produção de Branko (com produção adicional de PEDRO). A letra de autoria de Conan Osiris e as batidas saídas do estúdio da Enchufada oferecem a Ana Moura e Conan Osiris a base para uma prestação vocal que olha para o futuro com visão 20/20.

VILA MARTEL – “NUNCA MAIS É SÁBADO” // A 24 de Janeiro, os Vila Martel editam o seu primeiro álbum. “Não nos Deixem Ir Embora” é o single de apresentação da banda Vila Martel. Fala sobre a falta de vontade de sair do país por necessidade, quando o sonho é ficar em Lisboa. Esta faixa faz-se acompanhar de um vídeo, realizado pelo próprio vocalista/guitarrista, Rodrigo Mendes, que serve como espelho da personalidade de cada um dos membros e da sua relação individual com a banda e como banda. É um vídeo que se foca neles mesmos e no ambiente festivo a que nos remete a música do quinteto. Os Vila Martel são Afonso Alves, Francisco Botelho, Francisco Inácio, Rodrigo Marques Mendes e Tiago Cardoso.

SPICY NOODLES – “SENSACIONAL!”// “Juntas na Fita” é o novo single e é uma canção de amor, feita a partir de factos reais, que anuncia “Sensacional!”, álbum de estreia com data de lançamento no dia 31 de Janeiro. Spicy Noodles foi o nome escolhido para este projecto que nasceu no solarengo verão alentejano de 2016, numa residência artística. Érika Machado e Filipa Bastos buscam sons e imagens para escrever um diário a quatro mãos e são as responsáveis por toda a parte criativa, das composições e execução das músicas, dos vídeos, às ilustrações, fotografias, e o que mais for preciso. A sonoridade de “Sensacional!” é temperada com samplers, guitarras, teclados, brinquedos e bits electrónicos que, misturados, dão uma explosão de barulhinhos em cada uma das canções. O disco foi feito entre Julho e Agosto de 2019, todo gravado e pré produzido no estúdio caseiro Quebra Galho, em Coimbra, e depois seguiu para o Estúdio 128 Japs, em Belo Horizonte no Brasil, onde  John Ulhoa (Pato Fu), generosamente cuidou da produção, mistura e masterização. “Sensacional!” será editado pela editora Lux Records de Coimbra.

SACRED SIN – “FALSE DECEIVER”// Uma das bandas de culto do death metal português e no activo desde 91 vai editar um novo EP ainda este ano.”False Deceiver” é o segundo single apresentado, depois de conhecermos “Born Suffer Die”. Actualmente a banda é composta por José Costa, na voz e baixo, Gabi na bateria, Tó Pica e Luís Coelho nas guitarras eléctricas.

INÊS DUARTE – “SER”//  O terceiro álbum da fadista é um disco inteiramente de Fado, são também evidentes as influências e vestígios de jazz e do tango argentino. As palavras feitas música dão forma e “vida”, aos temas incluídos num álbum com letra e músicas originais de Tiago Torres da Silva, Paulo Ribeiro, Cátia Oliveira e Valter Rolo, entre outros, para além de incluir um poema de Alexandre O’Neil. 12 Músicas, fados canção que no poema encerram em si mesmos muito do que é o percurso musical de Inês Duarte, um amor declarado a um género musical único, numa homenagem à palavra dita e à expressão do sentimento que só o Fado permite. Inês Duarte irá apresentar este seu novo trabalho, num concerto ao vivo a realizar no próximo dia 9 de Fevereiro no Fórum Luísa Todi – Setúbal, a mesma cidade à beira-Sado em que Inês nasceu, no ano de 1983.

OMA NATA – “EVERYTHING”// Depois do lançamento do seu álbum de estreia, em Maio, Oma Nata regressa com novo trabalho com selo Discotexas. “Everything” vai ser apresentado a 10 de Janeiro. O primeiro tema, que dá nome ao EP, lidera o caminho com grooves suaves da bateria e uma linha de baixo que permanece à distância, continuamente a abrir portas para aquela que será a sonoridade líder neste tema. A carreira de música de Mário da Mota Veiga, mais conhecido como Oma Nata, começou em algumas das bandas de metal e electrónica que fez parte. Alternando por estes cenários, viajou entre Londres e Berlim, experiência que moldou a sua música numa constelação de sons e humores introspectivos que nos unem à própria descoberta espiritual do músico.

MARTA CARVALHO – “CHAMA”// Já podes ouvir o novo single de Marta Carvalho. A cantora que é uma das vozes do r&b cantando em português, inicia 2020 com um novo single, intitulado “Chama”. O tema já está disponível em todas as plataformas digitais e conta com letra e música da própria Marta Carvalho e do músico LEFT., tendo sido produzida pelos dois artistas juntamente com Hits Mike. O tema foi composto, produzido e gravado nos Great Dane Studios. O vídeo deste novo single, realizado por Cláudia Batalhão, já pode ser visto no YouTube.

CANCRO – “71000 FRAMES”// Cancro lançam novo single e vídeo para 71000 Frames. São uma das mais recentes bandas a surgirem do universo HAUS em Lisboa. Os Cancro, trio punk composto por Tiago Lopes, José Penacho (Marvel Lima e Riding Pânico) e Fabio Jevelim (Paus e Riding Pânico), ganham o nome da crítica social que norteia as suas músicas. Comprometidos com a denúncia dos “cancros sociais” que os rodeiam, lançam hoje o vídeo para 71000 Frames. O segundo tema extraído de + (Mais), álbum de estreia lançado na recta final do ano passado, volta a atirar-nos a lírica ácida e disruptiva de um disco que nasce da urgência de olharmos para nós mesmos. Quando a sociedade definha por entre audiências televisivas e recortes de redes sociais, o grito que nos atiram quer ouvir-se tão sujo quanto as guitarras e as teclas que o transportam, porque é a sujidade que nos desperta. É nela que encontramos a consciência da nossa humanidade e com ela que combatemos a indiferença e a negação.

HAUSE PLANTS – “CITY VOCABULARY”// Hause Plants é a aventura bedroom pop e post punk de Guilherme Correia, guitarrista dos Ditch Days, que se estreia agora a solo e edita o primeiro single “City Vocabulary”. Para Guilherme Correia, que compõe, produz e grava a partir do seu quarto sob o nome de Hause Plants, esses sonhos chegam na forma de canções. “City Vocabulary”, misturada e masterizada pelo André Isidro (Ditch Days, Basset Hounds, Grand Sun), é o primeiro single de Hause Plants e a primeira amostra do que será “Public Speaking”, o EP de estreia com data de lançamento prevista para o primeiro semestre de 2020. Com pulsação acelerada, guitarras fuzzy e uma atmosfera carregada de reverb, as melodias delicadas da voz de Guilherme Correia descrevem uma relação à distância pela lente de uma geração jovem sem medo das consequências.

THE TOWN BAR – “TALVEZ UM DIA”// Os The Town Bar tem o seu núcleo criativo nos gémeos Filipe (voz e guitarra) e Miguel (voz e percussão). O primeiro EP “At the Bar” foi editado em 2016 e o single (com o mesmo nome) fez parte da colectânea Novos Talentos Fnac 2017. “Talvez Um Dia” é o novo single do quinteto.