Viriatada de Fevereiro

Viriatada de Fevereiro

Redacção

A “Viriatada” acolhe alguns dos lançamentos portugueses do mês num único local. Em Fevereiro temos novidades de Her Name Was Fire, Noiserv, Cristiana Branco, Marvel Lima, Budda Power Blues, Fantasma, entre muitos outros.

A música portuguesa tem qualidade e merece ser partilhada. Existem novos lançamentos todos os meses mas ainda há quem diga que é difícil de encontrar qualidade… A nossa Viriatada mensal reúne alguns dos destaques na música portuguesa num só local. Poupamos-te o trabalho, só tens que visitar a Arte Sonora, conhecer e ouvir. Queres ver a edição de Janeiro? Clica aqui. Para verificar este mês, faz scroll [artigo em actualização permanente].

HER NAME WAS FIRE – “ANOTHER RODEO”// Já podes ouvir o mais recente single da dupla lisboeta. “Another Rodeo” faz parte do novo álbum, “Decadent Movement” que será editado nas plataformas digitais a 3 de Abril de 2020. A versão física será editada via Raging Planet e poderá ser adquirida a 28 de Março no concerto de apresentação a decorrer na Fábrica de Braço de Prata em Lisboa. “Decadent Movement” foi gravado no Generator Studios e a masterização ficou nas mão de Nelson Canoa do Canoa Studios. 

NOISERV – “NESTE ANDAR”// Noiserv apresenta-nos “Neste Andar”, o terceiro tema de avanço do novo disco a lançar em Setembro de 2020, depois de “Neutro” e “Meio”. Assumindo-se como um dos temas mais introspectivos deste novo trabalho, “Neste Andar” é também uma reflexão sobre a impotência de nos entendermos a nós próprios num mundo inventado por outros. O vídeo que o acompanha, tem como base um videojogo, um mundo paralelo, encenado, por vezes demasiado controlado, e só assim suficiente para nos compreendermos. 

DREAM PEOPLE – “SOFT VIOLENCE”// Os Dream People são uma banda lisboeta que nasce pelas mãos de Francisco Taveira. Há quem diga que fazem dream pop, mas essa é só parte da verdade. O primeiro EP dos Dream People, “Soft Violence”, é editado no dia 4 de Fevereiro e foi gravado nos estúdios Namouche. O disco tem vindo a ser desvendado em singles desde Novembro e tem reunido airplay em algumas rádios nacionais – como a SBSR FM e a Radar – e garantido vários lugares em playlists do Spotify. Os singles já lançados são: “Caroline”, “Dreams to Dust”, “Violent Show” e “Putos de Portugal”.

BUDDA POWER BLUES & MARIA JOÃO// A celebrar 15 anos de carreira, os Budda Power Blues criaram uma edição especial (estreado este mês) em formato USB. 38 músicas, que correspondem a 4 discos da banda (One in a Million, Budda Power Blues, Back to Roots, Fifteen Long Years) e algumas músicas bónus, bem como fotografias e vídeos, são oferecidos numa PEN personalizada. A banda também anunciou que já está em estúdio a gravar o próximo disco, “The Blues Experience II”, e incluirá novamente a participação de Maria João. O novo disco tem edição prevista para 2020 e podemos esperar novidades até ao final do ano. Para já, lembrem um extraordinário momento do primeiro álbum desta parceria.

IMPERMANENCE – “THE OCEAN INSIDE A STONE”// No próximo dia 8 de Fevereiro será lançado, durante a 10ª edição do Festival Porta-Jazz, “The Ocean Inside a Stone”, o novo trabalho de Impermanence, projecto liderado pela trompetista Susana Santos Silva. A música de Susana Santos Silva deambula entre universos musicais aparentemente distintos e dispersos mas que são unificados na impermanência de tudo o que existe. Um fluxo energético eterno e constante através do tempo e do espaço que, neste novo álbum, se materializa em sete distintos micro-mundos de um todo orgânico e mágico.

MODERN LIGHTS – “VANILLA MAGNOLIA”// O mais recente single e vídeo de Modern Lights chama-se “Vanilla Magnolia”. Uma banda de originais que gravou o primeiro EP em 2015 e o segundo em 2018, ambos em parceria com o Black Sheep Studios. A arte da música associada à beleza feminina constitui a base de inspiração dos Modern Lights, onde o acústico se cruza com sonoridades mais fortes. O rock ‘n’ roll da banda é criado e experimentado como uma viagem e cada canção propõe a deambulação por um local diferente, de tempos antigos à actual Lisboa, sem fronteiras nem caminhos fechados. Modern Lights é João Pedro “Johny” (Vozes), Vasco Calheiros (Bateria), Miguel Neves “Mike” (Guitarra), Tiago Pais (Guitarra), Nuno Campos (Teclado) e Tiago “Cabeças” Duarte (Baixo).

ANÍBAL ZOLA – “AMORTEMPO”// O novo disco de Aníbal Zola, “amortempo”, será editado no dia 28 de Fevereiro. “amortempo” é essencialmente um disco de canções em português com uma abordagem musical de busca de identidade produzido por um contrabaixista. Resulta do desejo de juntar o contrabaixo e a voz a um conjunto generoso de participações de outros músicos extremamente talentosos que têm vindo a cruzar-se com Aníbal Zola. Procura essencialmente fundir música portuguesa com música latino americana e dá, com frequência, espaço para a improvisação. As letras não são mais do que as próprias inquietações do artista que se espelharam em temas já muito explorados pela humanidade, e que, em Aníbal Zola, surgiram através de um processo bastante inocente.

MARVEL LIMA – “MAL PASSADO”// O segundo álbum de estúdio dos Marvel Lima chama-se “Mal Passado” e é editado dia 7 de Fevereiro. Após uma pausa estrutural, reflexiva e criativa, os Marvel Lima estão de volta, e desta vez em formato quarteto, com “Mal Passado”, uma ode à descontracção e ao “despreconceito” mas também uma metáfora para os problemas quotidianos causados pelo parco contacto pessoal, um excessivo consumismo capital e de conteúdos irrelevantes nas redes sociais. “Mal Passado”, que será editado pela Rastilho Records, assume reminiscências do lounge jazz e smooth funk, relembrando David Axelrod e Azymuth, enquanto se mantêm fiel à sonoridade groovada e rockeira do seu disco antecessor. Com um arranjo suave e relaxado, a banda assume um registo mais pop, maduro e com uma estética mais coesa. Já podes ouvir “Tass Bem”, o primeiro single do álbum.

FANTASMA – “MORDER PARA SANGRAR” // Fantasma é o novo projecto de Mike Ghost. Começou em 2019 a editar progressivamente o seu primeiro EP. “Perpetua” terá, numa primeira fase, edição exclusivamente digital. O trabalho foi gravado em ambiente home studio, com Mike Ghost a multiplicar-se na gravação instrumental e nas vozes, além de ter assumido também a mistura e masterização dos temas. A ideia passou também por criar, num primeiro momento, a estética sonora de Fantasma e depois colaborar com outros músicos para colocar a banda nos palcos. Ouve o single “Morder Para Sangrar”, numa parceria com Brent Hinds, dos Mastodon.

PEDRO DE TRÓIA – “NUNCA FALO DEMAIS” // Depois de encabeçar uma das boas e criativas bandas da música portuguesa conheceu (Os Capitães da Areia), Pedro de Tróia entra em 2020 com tema novo, disco a solo com edição marcada para Março e uma tour nacional em que poderemos comprovar o animal de elevada potência que se revela em palco. As primeiras datas estão já agendadas: dia 22 de Fevereiro, na Expo Estrela, em Manteigas, e dia 13 de Março, no Musicbox, em Lisboa (bilhetes à venda na BOL). “Nunca Falo Demais” é o segundo single do álbum de estreia a solo.

NORTON – “PASSENGERS” // Os Norton estão de volta com um novo álbum de estúdio. “Heavy Light” marca o regresso da banda aos discos e traz de volta os Norton na sua melhor forma, com canções ilustradas pelo seu indie rock que ilumina corações. No quinto álbum de originais, a banda de Castelo Branco decidiu abrandar e olhar em volta com mais atenção, sem nunca perder a identidade, naquele que é o seu registo mais honesto e ecléctico. O disco tem edição marcada para 27 de Março e está já disponível para pré-compra no site oficial da banda – www.wearenorton.com -, nos formatos vinil, CD, cassete e digital.

EARTH DRIVE – “DHARMA THRONE”// “Dharma Throne” é o primeiro single extraído do álbum “Helix Nebula”, que será editado pela Raging Planet dia 13 de Março. As gravações, misturas e masterização ficaram a cargo do produtor Fernando Matias no The pentagon audio manufacturers studio.

TIME FOR T – “YOU SEEM INTELLIGENT”// Para assinalar a digressão Europeia para promover o álbum -“Galavanting”, Time For T lançam o vídeo para “You Seem Intelligent”, um dos temas mais bem recebidos do disco. Este vídeo começou com uma conversa entre amigos num café. Na semana seguinte, filmaram-no num dia por Lisboa o que só foi possível pelo conceito simples e forte, o amor à arte e a incrível actriz Adriana Xavier e aos realizadores Ricardo Dias e Lee Squires. “You Seem Intelligent” fala sobre largar alguém porque sabemos que, mesmo tentando tudo, a única pessoa que pode ajudar a situação é a própria pessoa ou mesmo a sua mãe. Esta música foi composta há algum tempo mas Tiago Saga sempre se sentiu tímido em partilhá-la pois é uma canção muito pessoal e pesada. Quando a começou a mostrar a algumas pessoas, todos diziam que deveria ser gravada e partilhada. A acompanhar este single, Time For T decidiram lançar uma canção inédita acústica para abrir o apetite, “Brighton (Clumsy)”. Tiago Saga sentiu nostalgia da sua vida em Brighton, gravou-a numa caravana com um microfone sem nunca pensar que seria lançada mas ficou de tal forma pura e crua que sentem ser uma boa companheira para o single “You Seem Intelligent”.

DESERTO – “FERIDA FEITA”// Este é o terceiro single a ser retirado do álbum da banda lisboeta, “Manual do Deserto”, editado em 2019. Foi gravado e produzido nos BuzzRoom Studios por Paulo Basílio.

MAZGANI – “THE GAMBLER SONG”// Depois de dois anos a apresentar “The Poet’s Death” um pouco por todo o lado,  chegou agora às lojas o novo disco, “The Gambler Song”. Já está disponível nas principais plataformas digitais e é a sexta entrada na discografia do músico – inclui o single “The Sweetest Song”. Mazgani já anunciou a data de apresentação para “The Gambler Song”: 4 de Março no Capitólio, em Lisboa.

MONDAY – “ROOM FOR ALL”// Monday editou um novo trabalho com uma sonoridade diferente. Cat Falcão abriu uma janela e deixou o dia entrar. O resultado são 6 canções coloridas, ritmadas e vibrantes.
“Room For All” é editado pela StreetMissionRecords e já se encontra disponível nas plataformas digitais, Bandcamp da editora e através das páginas nas redes sociais de Monday. As canções do EP foram co-produzidas com Miguel Nicolau (Memória de Peixe) e trocam as influências folk por uma estética mais despreocupada, carregada de guitarras ondulantes e sintetizadores suaves, onde a sensibilidade pop se destaca e a voz de Cat Falcão aparece mais ambiciosa e confiante.

MISHLAWI – “HOTEL”// “Hotel” é o novo single de Mishlawi, depois de quase um ano sem lançar originais e inclui a participação de Gson. Mishlawi começou a sua carreira em 2016 com o single “All Night”. Influenciado sobretudo pelo rap, RnB e trap-soul, Mishlawi lançou em 2017 “Always on My Mind”, “Limbo”, “FMR”, “Rain” com Richie Campbell e Plutonio, todos integrantes da Bridgetown. Em 2019 o tema “Uber Driver” atingiu o galardão de Platina.

PEDRO E OS LOBOS – “DEPOIS DA TEMPESTADE”// O novo disco de Pedro e os Lobos já está editado e pronto a ser ouvido. Musicalmente inspirado pelos grandes clássicos americanos, que vão de Bruce Springsteen, Bob Dylan, R.E.M. ou Neil Young, este é um disco recheado de paisagens sonoras que nos fazem viajar por espaços amplos, que nos contam histórias inspiradoras de gente normal, do dia a dia, quase sempre esquecida. Ao contrário de trabalhos anteriores, que assumem contextos mais intimistas, com letras por vezes autobiográficas, este é um disco de mudança com intuito Universal para ser vivido e escutado ao vivo ou com o volume do rádio bem alto. Gravado e produzido por João Martins e Pedro Galhoz nos estúdios Ponto Zurca em Almada.

TRAÇO – “DOIS”// “Dois” é o primeiro single de estúdio da banda. É a composição mais recente, a que melhor reflecte as ideias de todos num só. A aposta para “business card” foi aplicada nesta melodia psicotrópica, acompanhada de uma letra tensa e amarga mas, ao mesmo tempo, satisfatória. O tema conta a história de um amor intenso e extraconjugal que não se pôde tornar real à custa do medo. Esta relação atingiu assim um ponto de ruptura, obrigando um dos lados a ser “a força dos dois” e quebrar.

SUNFLOWERS – “ENDLESS VOYAGE”// É um álbum conceptual sci-fi sobre o fim do mundo, a ascensão da máquina, o sentimento de ambiguidade sobre a própria individualidade e a aceitação do caos. Foi gravado entre a Casa do Soto, Arouca, a casa dos Sunflowers no Porto e na Arda Recording Co. Foi produzido pelos próprios Sunflowers e pelo incrível João Brandão! “Endless Voyage” está disponível em todas as plataformas de streaming digitais e em CD e vinil via Only Lovers Records e Stolen Body Records .

QUATRO E MEIA  – “CANÇÃO DO METRO”// Canção do Metro” fará parte do tão aguardado segundo registo de originais da banda, “O Tempo Vai Esperar”, com data de edição agendada para o mês de Abril. A banda, natural de Coimbra, aproveita o momento e revela também hoje aos fãs o videoclipe do tema, gravado no Metro da cidade do Porto. Sobre o novo single, a banda explica que «sonho e vida caminham de forma paralela, como duas linhas férreas. Seguem juntas, mas nunca chegam a tocar-se totalmente. É esse carácter esguio do sonho que torna a vida numa viagem maravilhosa sem um destino final premeditado. “Canção do Metro” conta a história de alguém que se permite acreditar em si mesmo, sonhando e acreditando que a sua caminhada lhe reserva outros voos. Este é um tema que nos recorda o quão belos podem ser os nossos projectos e os passos até os concretizarmos». está também agendado um concerto para 24 de Outubro na Super Bock Arena – Pavilhão Rosa Motano Porto.

MISFIT TRAUMA QUEEN – “VIOLENT BLUE”// Violent Blue” é a primeira aventura a solo de David Taylor, baterista e produtor auto-didacta, que enquanto adolescente se rendeu ao rock: «tinha um Pentium 11 onde corria os videoclips dos meus grupos favoritos, e tentava seguir os movimentos dos bateristas, com uns pauzinhos dos chineses num banco (…)». Em 2020 o som do mundo que nos rodeia pode ser electrónico, mas Misfit Trauma Queen acrescenta-lhe um pouco de poesia experimentando timbres e atmosferas na condição da pop. Pode ser thrillbient, cinematic electronica, ou, crime-techno, como, crime-jazz… Rótulos à parte, MTQ reflecte em simultâneo a realidade caótica, o estado de alucinação e vertigem, da errância em que hoje se vive. “Violent Blue” é um álbum duma ambivalência física, cerebral, e emocional, que devenda dez estruturas narrativas ao melhor estilo film-noir, como num bom thriller de ficçao cientifica.

DELA MARMY – “NOT REAL”// Dela Marmy, projecto em nome próprio de Joana Sequeira Duarte (ex-The Happy Mess), edita o single “Not Real” pela KPRecords*KillPerfection, antecipando o segundo EP “Captured Fantasy”. “Not Real” revela uma energia vibrante e etérea – características que frequentemente são associadas ao Dream Pop. A voz (e palavras) sempre acompanhada por linhas de baixos dançantes, vigor rítmico e melodias de sintetizadores que ecoam ininterruptamente, levam à descoberta desse lugar “não real”.

STEREOSSAURO, MARIZA LIZ E CARLÃO – “A NOITE”// Em 2019, Stereossauro lançou “Bairro da Ponte”, um disco em que a tradição e a modernidade se cruzam embalados pelo fado, electrónica e hip-hop. Mantendo toda a essência e emotividade bem portuguesa, ao mesmo tempo que renova as suas linhas de força, estabelece ligações e entretecendo cumplicidades com a música de hoje. Stereossauro mantém a veia criativa a pulsar e avança agora com material novo. Mergulhou de cabeça num registo mais hedonista e festivo, e recrutou para o seu “bairro” Marisa Liz e Carlão – duas carismáticas vozes da cena musical contemporânea, aventureiros exploradores de novas estéticas e possibilidades. Um sample de “Lisboa Menina e Moça” de Paulo de Carvalho agarra-nos pelo pulso e harmoniza a feliz reunião de gerações e tribos.

9 MILLER – “SÓ EU SEI”// 9 Miller lançou o seu novo single “Só Eu Sei”, o terceiro do disco de estreia a editar em 2020. Quando começou a escrever esta música, 9 Miller revela que pensou automaticamente em convidar T-Rex e Phoenix RDC a participarem, juntando dois flows explosivos ao beat que Beatoven lhe havia mostrado. Juntos escreveram o resto da letra, num processo que o rapper diz ter sido fácil, «pois é um tema com o qual nos relacionamos os três».

BATEU MATOU – “LUME”// RIOT (Buraka Som Sistema), Ivo Costa (Sara Tavares, Batida) e Quim Albergaria (PAUS) juntaram-se com a fome e a vontade de incendiar as pistas. BATEU MATOU é uma banda de baile novo feita de todos os ritmos que estão a redesenhar a noite e a voz de uma cidade em ebulição. Têm feito do Musicbox a sua casa e laboratório para experimentar e criar um som próprio. Sai agora desta relação o primeiro single. “Lume” é um balde de gasolina atirado mesmo para o meio do fogo. Funananá e Trap combinados para mostrar a capacidade da batida de Lisboa de se transformar e fazer dançar. O tema incendiário conta com a voz e letra de Scúru Fitchádu e o resultado é um ritmo febril e sensual impossível de resistir. Lume” é o primeiro de 3 singles a serem lançados no ciclo de 3 concertos da banda no Musicbox.

IGUANA GARCIA – “VAGAS”// O novo disco de Iguana Garcia já pode ser ouvido em todas as plataformas digitais. Vagas é disco repleto de pop sentimental que encaixa no embalo de uma nova década. É todo ele uma balada sentimental, um convite ao baile e várias danças, onde persiste a visão de um-só-homem que se deixou dominar pelas fantasias pop que estavam sugeridas no primeiro álbum. Oportunamente, abre com “Os Duros Não Dançam”, um convite a levantar o pé devagarinho – muito devagarinho – para se dar início a esta dança. A espera não é longa, ao terceiro tema, e primeiro single, “Horas Vagas”, o complexo foi vencido e já se está na pista a “beber o tédio” juntamente com Iguana Garcia. Porque há melancolia neste “Vagas”, a mesma que existe nas canções pop dos 1980 que se transformam em bombas de pista.

ESTRACA – ” VOLTAR ATRÁS”// O novo álbum “Dar Vida”, que tem vindo a ser desvendado single a single, começa a ganhar cada vez mais “vida” e já tem edição agendada para 6 de Março, data em que ficará disponível na íntegra em todas as plataformas digitais. Depois de dar a conhecer “Makweru” (com Selma Uamusse), “Não Quebro” (com a participação de Murta) , “Profano”, “Bela Adormecida” (com Fábio Brazza) e “Tu Sabes” (com Kosmo da Gun), é agora altura de levantar o véu a mais um novo tema. “Voltar Atrás” conta com a participação especial do cantor Matay, umas das maiores vozes da soul nacional. Com produção musical de DefStarz e pós-produção/mistura/master pelas mãos de Tom Enzy, o single já pode ser ouvido nas plataformas habituais do artista. O vídeo ficou, mais uma vez, a cargo do coletivo CLOUT. Concertos de Apresentação do álbum “Dar Vida” a 7 de Março no Porto e 28 de Março  no largo do Bairro da Cruz Vermelha, no Lumiar com entrada livre.

VILA MARTEL – “NÃO NOS DEIXEM IR EMBORA”// “Ninguém é o segundo single do coletivo, no qual as relações amorosas são ponto central do texto. Esta faixa faz-se acompanhar de um vídeo realizado por Francisca Carreira, que conduziu o grupo na execução de um trabalho mais conceptual que o anterior que acompanhou o primeiro single “Não Nos Deixem Ir Embora”. Gravado nos armazéns da Cerveja Lince, este videoclipe pretende focar-se na letra da canção e nas cores que rodeiam a música dos Vila Martel, retirando aos elementos da banda a importância que normalmente têm neste género de apresentação.

ANIMAIS – “15 ANOS SEM PAREDES”// Vários Músicos de Coimbra prestam homenagem a Carlos Paredes. Depois de dar a conhecer o single “Sede e Morte”, o projecto já editou o disco com 8 temas. Coimbra, então Capital da Cultura, viu subir ao palco do Teatro Académico de Gil Vicente o espectáculo “Mondego Chase”, que a partir de alguns dos mais emblemáticos temas de Carlos Paredes juntava os Belle Chase Hotel com os músicos do Quinteto de Coimbra. Ditou a sorte que o trabalho daí resultante tivesse ficado apenas pelos palcos que receberam o espectáculo, e que apenas tivesse sido registada em estúdio a versão do tema “Verdes Anos”, incluído na colectânea “Movimentos Perpétuos”. 15 anos mais tarde, os mesmos músicos que arquitectaram o projecto reúnem-se para ressuscitar e completar a aventura musical pelo universo sombrio, negro e vibrante da figura mais carismática e livre da guitarra portuguesa. É com imenso prazer que Raquel Ralha (Wraygunn, Mancines, The Twist Connection, Belle Chase Hotel, Azembla’s Quartet), Ricardo Dias (aCapella, Quinteto de Coimbra), Pedro Lopes (Na Cor do Avesso, Quinteto de Coimbra) e Pedro Renato (Belle Chase Hotel, Azembla’s Quartet, Mancines, Tracy Vandal) começam a apresentar um disco intenso para almas irrequietas, ouvidos exigentes e espíritos livres.

KUMPANIA ALGAZARRA – “UP IN THE MORNING”// “Up in the morning” é o novo vídeo dos Kumpania Algazarra e o último single do disco “Let’s go” editado em 2019. O tema fala sobre boa disposição, exercício físico e, acima de tudo, passa a boa energia dos Kumpania Algazarra, conhecidos pela festa em que se transformam os seus concertos e tudo o que fazem. O novo vídeo foi gravado nas ruas de Sintra e na Praia das Maças e foi filmado por Valter Ramos e João Guimarães.

GRANDFATHER’S HOUSE – “LET IT FLOW (AO VIVO)”// A banda composta por Tiago Sampaio, Rita Sampaio e Nuno Gonçalves, gravou dois temas ao vivo numa sessão no Museu dos Biscainhos. Depois de “Keep It Up”, o vídeo de “Let It Flow” foi lançado esta segunda-feira no canal do Youtube dos GrandFather’s House. GrandFather’s House surgiu em 2012, em Braga, como um projeto a solo do atual guitarrista Tiago Sampaio ao qual se juntou, mais tarde, a irmã Rita Sampaio como vocalista. Em março de 2016, com João Vítor Costeira na bateria a finalizar a formação da banda, e Rita Sampaio também nos sintetizadores, é editado “Slow Move”.

MÁRCIA – “VAI PASSAR TUDO AMANHÔ// Nova música inédita de Márcia. No seu dia de aniversário, 19 de Fevereiro, a artista ofereceu um novo tema, “Vai passar tudo amanhã”. Assumindo toda a instrumentação e produção da música, o tema é o primeiro original a ser conhecido depois da edição de “Vai e Vem”, em 2018.

SERUSHIO – “GHOST SONG”// “Ghost Song” é o novo single de Serushio, o 3º a ser retirado do álbum “Open Range”. Esta canção tem a participação do norte americano George Carver, na guitarra lap steel. As onze canções e os dois instrumentais que compõem “Open Range”, disco que contou com recrutas de primeira, como Zé Nando Pimenta ou Fred Ferreira, são mais um passo certeiro nessa vontade de chegar mais longe à custa da afirmação pessoal.

CASSETE PIRATA – “CHORA MÃE”// Os Cassete Pirata apresentam o novo single “Chora Mãe”, retirado do seu LP de estreia “A Montra” editado em 2019. A electricidade de “Chora Mãe” é acompanhada por um teledisco realizado por António Castelo. Protagonizado por todos os elementos da banda e pelo convidado Samuel Úria, o vídeo acompanha a canção com uma colagem de grandes planos dos artistas caracterizados (por Camila Reis) de uma forma que remete para o universo da arte rupestre, em forma de apelo urgente dirigido a cada ouvinte e espectador.

APRIL IVY – “TEMPORARY LOVE”// O novo single de April Ivy é uma abordagem refrescante à funk pop. Produzida pelos AZTX, e composta em co-autoria com April e Danny Wilkin, dos Push Baby (f.k.a. Rixton), o novo single “Temporary Love” conta a história de um amor apaixonado e acarinhado, sob uma mescla de riffs de guitarra, ritmados e sedutores, aliados à voz da artista portuguesa.

ANDRAGE – “STUCK”// O novo single da banda funciona como antestreia do disco homónimo. “Stuck” é uma fusão de vários géneros e influências que vão desde as sonoridades ligeiras do jazz, evidenciadas pelos sopros, passando pela energia electrizante que caracteriza o rock clássico, notória nas vocalizações pujantes, culminando num êxtase avant-rock. Andrage é um projecto que nasce em 2017 e que se ergue a partir da urgência que Margarida Marques (Voz), Daniel Gouveia (Trompete), Humberto Dias (Bateria), João Heliodoro (Saxofone Tenor), José Rego (Baixo) e Pedro Campos (Guitarra) sentiam em se expressar enquanto um só.

JOANA ALMEIDA – “DESLUMBRAMENTO”// O álbum de estreia de Joana Almeida já está disponível nas lojas e nas plataformas digitais. “Deslumbramento” é o reflexo da personalidade única de Joana Almeida enquanto fadista, da sua voz cativante que se movimenta pelo fado com leveza e segurança. É também resultado de um intenso trabalho de colaboração com grandes autores e compositores da nossa praça. Além de ter sido produzido por Tiago Machado, que já trabalhou com Marco Rodrigues, Mafalda Arnauth ou Mariza, o álbum conta ainda com as colaborações de nomes como Helder Moutinho, Pedro da Silva Martins, Luísa Sobral, Cátia Oliveira, Valter Rolo, Boss AC, ÁTOA, João Couto, Fernando Cardoso, Tiago Correia e Billy Blanco.

WET BED GANG – “LA BELLA MAFIA”// Lançado no dia de aniversário de Rossi, o novo single “La Bella Mafia” é uma homenagem ao fundador do grupo e antecipa o novo álbum dos Wet Bed Gang — previsto para Março.
São quatro e um fenómeno do hip hop português: Gson, Kroa, Zara G e Zizzy originais de Vialonga, seguiram os passos do malogrado Rossi e espalharam a palavra dos Wet Bed Gang um pouco por todo o país. Passaram três anos desde que o país conheceu o primeiro álbum, “Filhos do Rossi”, que catapultou os rapazes de Vialonga. Agora, em 2020 “La Bella Mafia” é o último aperitivo para o novo projeto.

PINK PUSSYCATS FROM HELL – “HELL NIÑA”// O novo disco de Pink Pussycats From Hell, “Hell Niña”, já está disponível em todas as plataformas digitais e em CD. O sucessor do disco de estreia “Hell P” é lançado pela editora Raging Planet e tem nove novas músicas onde estão incluídas as faixas “Helleluia” e “Hellvis”. Segundo a banda, composta pelo caçador Mighty Hunter e o coelho Danger Rabbit: «o disco resulta da jornada ao mundo inferior e da revelação da deusa Hell Niña e da sua vontade aos Pink Pussycats From Hell». A banda encontra-se em digressão a promover o novo disco. Datas e mais informações sobre a “Hellevation Tour” podem ser encontradas no site ppfh.rocks e facebook.com/ppfhell.

SREYA – “CALMA CORAÇÃO”// A Sreya faz canções de forma leve mas comprometida, numa mistura franca da realidade com uma muito própria fantasia. Muda agora de escamas para o seu segundo LP, “Cãezinha-Gatinha”, que chega com a primavera no dia 20 de Março. “Calma Coração”, o single/teledisco de avanço, já pode ser ouvido/visto em todo o lado.

FUGITIVO – “CALMA CORAÇÃO”// A rimar há cerca de dez anos, Fugitivo surge agora em 2020 com o EP “Modus Operandi”, tendo como single de apresentação a faixa “Último Nome” (feat. Fish). Originário dos Açores, mais propriamente de Angra do Heroísmo, o rapper editou em 2018 o seu trabalho de estreia, “Cara & Croa”, elaborado em parceria com uma equipa inteiramente açoriana, integrando áudio e vídeo duma forma verdadeiramente surpreendente e inovadora.

THE LEMON LOVERS – “PILLS”// “Pills” é o primeiro tema a ser lançado do terceiro disco de The Lemon Lovers. Este single foca-se numa espécie de «espaço intermédio das coisas» e serve-nos de lembrete, para que a curiosidade sobre este “espaço” esteja delimitada, caso contrário pode ser só uma caminhada sem regresso.

GRUTERA – “FICA ENTRE NÓS”// O primeiro single, “Fica entre nós”, é sobre cumplicidade, sentimento que pode ser entre duas pessoas como entre pessoas e as suas tradições. “Aconteceu” é o 4º disco de originais de Gruteta a ser editado dia 8 de Maio pela Planalto Records com design de Ana Gil. Foi composto ao longo de 5 anos depois de ter sido editado Sur Lie. Foi um disco feito durante um longo hiato longe dos concertos, fazendo com que toda a atenção do músico tenha caído sobre a composição. Grutera procurou explorar um som mais denso, mais cheio e corpulento, recorrendo por isso pela primeira vez a uma guitarra semiacústica eletrificada e à utilização de pedais de loops e efeitos. Foi captado e masterizado por Tiago e Diogo Simão, dois amigos que gravaram os anteriores 3 discos. Desta vez foi gravado em casa dos pais de Grutera, numa pequena adega, o que ajudou bastante não só na sonoridade como também na inspiração.

CRISTINA BRANCO – “PROVA DE ESFORÇO”// “Prova de Esforço” antecipa o álbum “Eva”, de Cristina Branco, previsto para 20 de Março. A música dada agora a conhecer conta com texto de Pedro da Silva Martins, que assina a composição instrumental juntamente com Luís José Martins. O trabalho de vídeo é de Joana Linda, bem como todo o conceito do álbum “Eva”. Para além do concerto no Cine Teatro Louletano em Loulé em Junho, está também agendado, a 8 de Outubro, no Capitólio, em Lisboa.

SLR – “GOLD”// “Gold” é o segundo single da banda SLR onde se solidifica a parceria com o produtor Ben Monteiro. Desta vez, juntam-se a Ben Monteiro e Alex D’Alva Teixeira para compor um single onde o amor explode num intenso fogo dourado. A música celebra uma relação que embora comprometida com vários problemas se mostra forte, fogosa e intensa na sua essência. Traduz a constante vontade de celebrar o que é bom, contrariando qualquer problema que possa existir. SLR é uma banda com influências de vários universos que produzem um misto de uma Pop electrónica com R&B melancólico, doce e eloquente. O seu nome é uma analogia às máquinas fotográficas e a todo o mundo audiovisual presente no ADN da banda.

YAGMAR – “JUDAS”// Com passagens pelo Fnac Live e Super Bock em Stock , os You Actually Gave me a Ride, fundados em 2014, apresentam agora o seu primeiro longa duração e segundo trabalho de estúdio, “Homem Severo”, o flirt aos ritmos afros acompanhados de melodias de outras regiões ainda está presente, mas com mais maturidade, a banda assume o rock alternativo como mote deste álbum. O primeiro single a estrear é “JUDAS”, tema que aborda a falta de veracidade inerente ao dia a dia de qualquer jovem.

JOÃO GRANOLA – “OS MODERADOS”// O novo álbum do cantautor nacional João Granola, “Os Moderados”, já está disponível. Um disco elaborado e gravado com todo o cuidado e dedicação como se se tratasse de um artefacto único, precioso e delicado. De acordo com o próprio João Granola, o disco é «a reflexão sobre o movimento de massas. Isso interessa-me. Sempre me interessou. O tema deste álbum é algo a que eu não podia fugir, já que ele me ocupa tanto tempo de pensamento. Todas as canções foram escritas com este tema como âncora, embora alguns sejam de espectros opostos do (meu) entendimento. Gravei as demos em casa, onde as evolui e decorei com arranjos. Depois chamei os meus amigos músicos e fomos gravar o álbum para os Black Sheep Studios, em Sintra».