Músico Transforma Ossadas do Tio Numa Guitarra

Músico Transforma Ossadas do Tio Numa Guitarra

Redacção

É quando achamos que já vimos de tudo que o universo nos diz que ‘não, não vimos’. Preparem-se para um dos achados mais inusitados/bizarros dos últimos tempos.

Um homem que dá pelo nickname de Prince Midnight aplicou componentes de guitarra no esqueleto do seu falecido Tio Filip e criou, bem… Uma ‘Esqueletocaster’, em homenagem ao homem que lhe mostrou as maravilhas do heavy metal na década de 1990. Sim, leste bem, uma guitarra feita a partir de um esqueleto humano e dos restos de uma Fender Telecaster!

A história foi avançada pelo Huffpost (já com eco em várias publicações). Filip morreu num acidente de mota na Grécia, em 1996, aos 28 anos de idade, e o seu esqueleto foi doado a um colégio local. «Após 20 anos, acabou num cemitério onde a minha família teve de pagar renda. É um grande problema na Grécia, porque a religião ortodoxa não quer que as pessoas sejam cremadas», conta Prince.

Com a ajuda de uma funerária local, Prince Midnight mandou enviar os ossos do tio Filip para Tampa, Flórida, onde reside. Os ossos estavam em pedaços e após algumas semanas a mostrá-los aos seus amigos, Prince decidiu que, uma vez que o tio Filip era um verdadeiro ‘metal head’, iria transformar as ossadas numa guitarra. Os amigos, familiarizados em fazer guitarras do zero, avisaram-no de que uma guitarra de ossos não soaria tão bem como uma feita de madeira, mas Prince não deixou esmorecer a ideia, mesmo sabendo que a transformação dos restos mortais do Tio Filip numa guitarra monstruosa seria um enorme desafio.

O processo começou com Prince Midnight a soldar uma barra de metal à espinha para fixar o braço da guitarra ao esqueleto. Depois, certificou-se de que o braço e a ponte seriam exactamente paralelos para que as cordas da guitarra pudessem tocar livremente. Embora o crânio de Filip estivesse incluído nos restos mortais, a verdade é que estava muito danificado, pelo que não podia ser acrescentado à cabeça da guitarra.

Prince Midnight está proibido, por lei, de vender a “Skelecaster”, mas esse não parece ser o seu intuito, pois anda a divertir-se à grande a tocar as seis cordas ao longo do Tio Filip. Ainda assim, admite que o seu projecto causou alguns momentos embaraçosos com a sua mãe. «No início, disse que era um sacrilégio e o trabalho do diabo – vocês sabem como são as mães. Mas perguntei-lhe: ‘O tio Filip era o maior metal head de todos. Onde é que ele preferia estar? Debaixo da terra ou no shredding?’ E ela disse: ‘no shredding». Fim da discussão. O tio é, agora, uma guitarra eléctrica.

Vejam o macabro instrumento em acção, numa versão mais lenta do explosivo clássico “Transilvanian Hunger” dos Darkthrone.

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.

EGITANA