Nick Mason Envergonhado Pela Fortuna dos Pink Floyd

Nick Mason Envergonhado Pela Fortuna dos Pink Floyd

Redacção

Nick Mason diz que a sua geração de músicos, que fez o rock clássico como o conhecemos hoje, é verdadeiramente abençoada pela sorte e conseguiu adquirir uma riqueza excessiva…

Nick Mason, lendário baterista dos Pink Floyd, considera-se uma pessoa bastante abençoada. Aliás, não apenas ele, mas todos os seus companheiros de banda e de “cena”. Segundo Mason, em entrevista com o Telegraph (via Classic Rock), toda aquela geração do rock clássico teve muita sorte e ganhou tanto dinheiro que até o faz sentir-se envergonhado: «Acho que todos nós ficamos um pouco envergonhados com a riqueza que temos. E como a usamos. A minha emissão de carbono é assustadora».

Essa riqueza, actualmente, vai aumentando através de uma revisita ao catálogo dos Pink Floyd, com reedições como a que se prepara para chegar de “Delicate Sound Of Thunder” ou a celebração do 25º aniversário de “Pulse”.

Mason relembrou a ascensão dos Pink Floyd, até se tornarem num grupo que podia experimentar livremente em estúdio, resultando em alguns dos trabalhos mais pioneiros da música rock: «Ainda não entendo totalmente como chegamos ao ponto de experimentação tão livre. Víamo-nos como uma banda de R&B, a tocar hits. Era só um pouco de diversão. Estávamos ali a lutar. Queríamos ser um grupo pop. Queríamos conhecer miúdas, curtir e ser famosos. Todos os A&R nas editoras estavam à procura da próxima grande banda, e parece que era um cara ou coroa entre a música psicadélica e o reggae. E vocês deviam ter-nos ouvido a tocar reggae. Tão, tão mau».

Mais surpreendente ainda é Mason referir que, na verdade, ninguém curtia a banda: «A coisa interessante é quão impopulares éramos com nossas músicas psicadélicas bonitinhas. Íamos para o norte e as plateias vaiavam-nos. Odiavam-nos. Não consigo entender como não desistimos naquele momento».

O baterista da banda britânica é um tipo humilde. Bastaria recordar as suas palavras acerca da sua técnica. Mas sobre a sua riqueza, não se pode dizer que seja um sovina, uma vez que se empenha em várias campanhas para ajudar os artistas emergentes. Um bacano, o Nick.