Norton, Changes

Norton, Changes

Redacção
Arlindo Camacho

Norton quebram cinco anos de silêncio. O novo single “Changes” é um festival em si mesmo, mais um hino pop efusivo para a colecção dos albicastrenses.

As guitarras, ainda mais com a efusiva interligação daquelas de Pedro Afonso e Manuel Simões, destacam-se alegremente na synth pop, devido à sua natureza melódica. A autêntica comunhão de Rodolfo Matos [bateria] e Leonel Soares [baixo] fazem o resto a arredondar “Changes”, a primeira música que os Norton editam após o álbum homónimo de 2014, na altura um dos nossos eleitos nas listas de Melhores do Ano.

“Changes” foi gravado e misturado por Eduardo Vinhas, nos Namouche e Golden Pony Studios. O engenheiro co-produziu o tema com a banda. A masterização este a cargo de Robin Schmidt nos 24-96 Studios em Karlsruhe.

A acompanhar o press release do novo single, há um texto de Sérgio Felizardo onde se lê: «Seguir em frente. Olhar para trás só o suficiente para não perder o rumo. O futuro faz-se de frescura e está logo ao virar da esquina. Para os Norton essa curva é feita a fundo, sem travões, num regresso com uma canção que deixa pouco por ler nas entrelinhas. “Changes” é directa, carnal, potente arranque construído em cima de uma guitarra afiada, nervosa e gingona, vibrante até ao osso na teia intrincada de sintetizadores que vai tecendo até ao refrão explosivo, assertiva na forma como a secção rítmica lhe concede toda uma esmagadora elegância pop.

Nas canções dos Norton há uma eterna busca de perfeição e a cada disco isso significa mudar. E, no caso da banda de Castelo Branco, mudar juntos, unidos num labor de amor e fazê-lo ao mesmo tempo que constroem um cancioneiro pop imaculado. Por isso, quando “Changes” te chegar aos ouvidos e te sequestrar os sentidos, agarra-a com todas as tuas forças. Canta-a. Dança-a. Partilha-a. Faz uma mixtape e mete-a no início e no fim. No meio, ergue a tua nova vida. Afinal, mudar não custa nada».

Dispara “Changes” no player.