NOS Primavera Sound’19: O cartaz completo!

NOS Primavera Sound’19: O cartaz completo!

Redacção
Hugo Lima

Solange, J Balvin, Erykah Badu, Interpol, Rosalía e Stereolab no ecléctico cartaz do NOS Primavera Sound 2019.

O Porto vai acolher a oitava edição do NOS Primavera Sound de 6 a 8 de Junho e vai fazê-lo com a mesma filosofia que inspirou o cartaz revolucionário do Primavera Sound Barcelona. As divas do R&B e soul Solange e Erykah Badu e o colombiano J Balvin encabeçam uma programação paritária e ecléctica que reflecte os tempos em que vivemos com a ousadia e diversidade estilística que marcam a actualidade musical.

Um total de 70 nomes vai passar pelo emblemático Parque da Cidade. Solange, J Balvin e Erykah Badu serão acompanhados pela artista do momento Rosalía, pelos Interpol, em excelente forma, e pelo celebrado regresso aos palcos de Stereolab. A seu lado, estará também a combativa Courtney Barnett, James Blake, a apresentar o iminente novo trabalho, o novo espectáculo cénico do ilustre Jarvis Cocker, o hip-hop mutante de Danny Brown e Kate Tempest, a lenda da música popular brasileira Jorge Ben Jor e a apoteose electrónica do duo Modeselektor em formato live bem como a deusa do tecno Nina Kraviz. Os ídolos do indie rock norte-americano Guided By Voices, as vozes do futuro do pop electrónico de Mura Masa e Yaeji e o êxtase de guitarras dos já “nossos” Shellac assinam um cartaz que olha para o presente e para o futuro sem nunca esquecer o passado.

Como habitualmente, os melhores álbuns da época para os críticos especializados vão fazer-se ouvir no NOS Primavera Sound. Além de El Mal Querer de Rosalía e Vibras de J Balvin, a nova expressão do indie rock da jovem Snail Mail vai alternar-se com o veterano Low, que assinou com Double Negative um dos topos criativos da sua longa carreira. Os devaneios pop dos experimentalistas Yves Tumor (com Safe In The Hands of Love) e SOPHIE (com Oil Of Every Pearl’s Un-Sides) partilham o cartaz com o R&B relaxado de Kali Uchis, a nova aventura de Neneh Cherry e o também novo classicismo de Lucy Dacus.

Há muito mais: este ano, mais do que nunca, o NOS Primavera Sound terá algo para cada pessoa. É sempre aconselhável ler além das letras grandes e encontrar todos os tesouros escondidos no Parque da Cidade. Jóias como o folk magnético de Big Thief, os sonhos sintéticos de Tirzah, a apoteose de improviso de Sons of Kemet XL, o cruzamento de estilos do estónio Tommy Cash, o swag desenfreado de Lizzo ou os devaneios de Men I Trust, Miya Folick ou Aldous Harding; bofetadas como as de JPEGMAFIA no hip-hop, Amyl and the Sniffers no punk, Fucked Up no hardcore e, porque não, Nubya Garcia no jazz. Do indie com Hop Along, a versões mais soul e jazz com Nilüfer Yanya ou à vertente mais intimista com Tomberlin. Das misturas pós-rock de Jambinai, até ao pós-punk de Viagra Boys; dos toques de R&B em MorMor ao synth pop de Let’s Eat Grandma e ao rock alternativo do trio O Terno, é só uma questão de procurar o festival sonhado por cada um. Ícones de ontem como a pioneira indie Liz Phair, de hoje como o transgressor Mykki Blanco ou de amanhã como Ama Lou.

Os que precisam de electrónica podem ficar tranquilos: a procissão de batidas chega liderada por Modeselektor (com um novo álbum debaixo do braço) e Nina Kraviz, e fica completa com uma Peggy Gou em estado na graça, as imparáveis Courtesy e Helena Hauff e o assalto directo à pista de dança levado a cabo por Joy Orbison, Roza Terenzi, Boddika e Job Jobse. Nomes como David August, Dr. Rubinstein, Jasss e Mad Miran também fazem parte da oferta para todos os que se querem render ao poder da dança.

A representação portuguesa este ano será protagonizada pela visão global do Mundu Nôbu de Dino D’Santiago, o hip-hop atrevido da lenda nacional que é Allen Halloween e o encontro de gerações resultado da reunião de Lena d’Água e Primeira Dama com a Banda Xita. A estes junta-se ainda a visão alternativa de Surma, o rap exímio de ProfJam, a electrónica fresca de Mai Kino e o poder da música de dança no feminino com Jackie e Violet, conhecida da Rádio Quântica que fundou com Photonz, também presente no cartaz. Uma amostra diversificada que prova que seja qual for o género, há representantes de peso nascidos em território nacional.

Enquanto isso, além de Rosalía, o NOS Primavera Sound vai ser o lugar ideal para descobrir o encanto de Christina Rosenvinge, galardoada recentemente com o Prémio Nacional de Música Contemporânea de Espanha, bem como o pós-hardcore do grupo basco de culto Lisabö.

Os passes gerais para o NOS Primavera Sound estão à venda por 103€ e podem ser adquiridos em bol.pt, Ticketea, portal NOS Primavera Sound e pontos de venda habituais (FNAC, CTT, El Corte Inglés) ou através do travel package da Festicket que inclui, para além do passe geral, o alojamento durante os dias do festival.

Também está disponível, nas lojas FNAC de Portugal e em fnac.pt, o Fã Pack FNAC NOS Primavera Sound em duas versões: o passe geral, a um preço promocional de 103€ e o voucher diário, por 56€. O voucher diário deverá ser trocado obrigatoriamente por uma entrada válida nas lojas FNAC ou no site oficial do NOS Primavera Sound até um mês após ser conhecida a programação por dias.