O Regresso do Underground Europeu, Os Primeiros Concertos de Metal [Vídeo]

O Regresso do Underground Europeu, Os Primeiros Concertos de Metal [Vídeo]

Nero

A Europa está progressivamente a desconfinar e a cena heavy metal é um dos exemplos. Os Destruction e os Arcturus actuaram perante audiências reduzidas e ordeiras.

Há poucos sectores de actividade como o da indústria musical, neste problema do Covid-19. Há situações experimentais para promover o regresso dos concertos, que estão a acontecer progressivamente. Mas até agora ou são soluções demasiado caras para a maioria do público ou perfeitamente aberrantes (pelo menos na nossa perspectiva), casos dos infames drive-ins.

Naturalmente, os artistas e promotores com maior capacidade de resposta estão entre os primeiros, no nosso país e a nível internacional, a conseguirem apresentar concertos mais próximos do normal. Isto é, concertos que decorrem de forma absolutamente normal, apenas concentrados nas medidas básicas de higienização e distanciamento social mínimo.

No passado fim-de-semana, os Destruction actuaram na Suíça e os Arcturus na Noruega (estes perante uma plateia em lugares sentados). Manter o distanciamento mínimo foi mais fácil no caso dos Arcturus. Já os Destruction viajaram da Alemanha até Prattein e tocaram duas noites diante de 250 e 300 pessoas em cada uma delas. A sala, o Z7 Club possui uma lotação de 1600 pessoas. Portanto, é impossível verificar se toda a gente se manteve à distância recomendada, mas o público parece ter sido ordeiro e pode vislumbrar-se imenso espaço na sala.

Um sinal positivo para os promotores portugueses e para os fãs. Festivais é muito bonito e tal, mas a saudade aperta mais é nos pequenos concertos (seja lá qual for o género musical).

Enfrentamos tempos de incerteza e a imprensa não é excepção. Ainda mais a imprensa musical que, como tantos outros, vê o seu sector sofrer com a paralisação imposta pelas medidas de combate à pandemia. Uns são filhos e outros enteados. A AS não vai ter direito a um tostão dos infames 15 milhões de publicidade institucional. Também não nos sentimos confortáveis em pedir doações a quem nos lê. A forma de nos ajudarem é considerarem desbloquear os inibidores de publicidade no nosso website e, se gostam dos nossos conteúdos, comprarem um dos nossos exemplares impressos, através da nossa LOJA.